A-A+

Bolsonaro diz que coronel é cotado para embaixada do Brasil em Israel

Entre 2013 e 2015, o coronel foi adido militar na embaixada brasileira em Tel Aviv

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: EVARISTO SA / AFP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (10) que o coronel da reserva Paulo Jorge de Nápolis é cotado para assumir o comando da embaixada do Brasil em Israel.

Na semana passada, a Folha de S.Paulo noticiou que o presidente decidiu indicar o militar, que trabalha na empresa aeroespacial Israel Aerospace Industries (IAI), para a representação diplomática.

Na saída do Palácio do Alvorada, onde parou para conversar com um grupo de eleitores, o presidente avaliou como natural fazer uma troca neste momento, uma vez que o diplomata Paulo César Meira de Vasconcellos assumiu a função em 2017.

"A ideia é trocar, não quer dizer que seja aquele coronel. Existe a intenção de trocar, o que é natural. É natural trocar", disse. "O coronel está no radar, não quer dizer que seja ele. Ele foi adido militar por três anos lá", acrescentou.

Leia também:
Bolsonaro assina nesta terça-feira MP da regularização fundiária
Bolsonaro chama Greta de 'pirralha' e diz ser contra desmatamento ilegal


Entre 2013 e 2015, o coronel foi adido militar na embaixada brasileira em Tel Aviv.Na função, que o Brasil mantém em cerca de 50 países, ele foi responsável pela interlocução entre os canais diplomáticos brasileiros e israelenses na área de defesa.

Depois de voltar ao Brasil, ele serviu como oficial de ligação entre os adidos militares no exterior, os 40 adidos estrangeiros baseados em Brasília e o Estado-Maior do Exército.

Antes, havia sido comandante do centro de instrução de operações especiais da Força. O coronel é formado na turma de 1987 da Academia Militar das Agulhas Negras.

Não há tradição no Brasil, como nos Estados Unidos, de enviar empresários para representar o país no exterior. No passado, políticos importantes sem cargo público eram frequentadores da representação em Lisboa, e a posição na Agência Internacional de Energia Nuclear, em Viena, foi ocupada por um físico especializado no tema.

Veja também

E quem nunca se isolou? Trabalhadores essenciais celebram o fim de uma restrição que nunca os tocou
Flexibilização

E quem nunca se isolou? Trabalhadores essenciais celebram o fim de uma restrição que nunca os tocou

Leitura correta da história do Brasil está em jogo, afirmam pesquisadores
História

Leitura correta da história do Brasil está em jogo, afirmam pesquisadores