Bolsonaro diz que não fará demarcação de terras indígenas

Para o presidente, as reservas atrapalham o desenvolvimento do país. 'Não pode continuar assim, [em] 61% do Brasil não pode fazer nada'

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (16) que países que investem recursos no país para programas de preservação ambiental estão “comprando à prestação o Brasil”. Ele criticou a Noruega que, assim como a Alemanha, decidiu suspender seus repasses para o Fundo Amazônia.

“O pessoal está comprando à prestação o Brasil. A compra no passado era também demarcando terras, o Brasil só fazia acordos lá fora em troca de abrir mão de sua soberania, demarcando terras indígenas, ampliando parques”, disse, dando como exemplo o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, ampliado em 2017 no governo do então presidente Michel Temer.

Para o presidente, as reservas atrapalham o desenvolvimento do país. “Não pode continuar assim, [em] 61% do Brasil não pode fazer nada. Tem locais que, para produzir, você não vai produzir, porque não pode ir num linha reta para exportar ou para vender, tem que fazer uma curva enorme para desviar de um quilombola, uma terra indígena, uma área proteção ambiental. Estão acabando com o Brasil”, disse, ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira.

Leia também:
Marchas de mulheres indígenas e camponesas se unem em pressão a Bolsonaro
Cocozinho petrificado de índio barra licenciamento de obras, diz Bolsonaro
Base da Funai em terra indígena foi atacada a tiros por caçadores clandestinos
Maioria dos brasileiros rejeita abrir mineração em terras indígenas
Noruega irá bloquear verba para o Fundo Amazônia, diz jornal

Bolsonaro ressaltou ainda que não fará demarcação de terras indígenas durante seu governo. "Enquanto eu for presidente não tem demarcação de terra indígena", disse. “Eles têm 14% do território nacional. Imagine Região Sudeste, uma área maior que essa já é terra indígena, não é área suficiente? Ontem [15], eu estive de novo com um grupo de indígenas e eles querem liberdade para trabalhar na sua área, não querem viver como em um confinamento, como seres pré-históricos”, acrescentou o presidente.

Veja também

Durante pandemia, saúde recebe maior parte de emendas ao Orçamento
Congresso

Durante pandemia, saúde recebe maior parte de emendas ao Orçamento

Senado vota MP de crédito para adesão do Brasil a consórcio de vacinas
Coronavírus

Senado vota MP de crédito para adesão do Brasil a consórcio de vacinas