A-A+

Bolsonaro quer alterar definição de legitima defesa em Código Penal

Ele disse que a ideia é retirar o termo "moderadamente" do artigo 25

Jair BolsonaroJair Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa / PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (4) que pretende enviar ao Poder Legislativo projeto de lei que altera a definição de legítima defesa no Código Penal.

Na entrada do Palácio do Alvorada, onde parou para cumprimentar um grupo de eleitores, ele disse que a ideia é retirar o termo "moderadamente" do artigo 25. Para ele, a palavra não faz sentido.

A redação atual define que "entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem".

"O que é moderada? No sufoco, você atira em cima do cara. O cara está vindo em cima de você, e você atira dentro da sua casa. Então, não tem de ter moderada. Se entrou na sua casa, você vai atirar. O que significa moderado, meu Deus?", questionou.

Leia também:
Bolsonaro diz que não há intenção de privatizar BB e Caixa
Não é porque Trump falou grosso que devemos dar as costas a ele, diz Bolsonaro


O presidente afirmou que a mudança faz parte de um pacote de medidas na área de segurança pública que deve ser apresentado pelo Poder Executivo, incluindo a autorização da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para reintegração de posse em propriedades rurais.

Bolsonaro indicou, no entanto, que as medidas podem ficar para o ano que vem, para não atrapalhar a tramitação do pacote anticrime, proposta elaborada pelo Ministério da Justiça e que encontra resistência no Poder Legislativo.

No Palácio do Alvorada, o presidente admitiu ainda que a proposta apresentada por ele de alteração do Código de Trânsito Brasileiro deve sofrer uma "lipospiração" no Poder Legislativo.

Na noite de terça-feira (3), ele se reuniu com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para tentar chegar a um acordo que coloque o projeto de lei em votação ainda neste ano.

A iniciativa propõe a elevação da validade da carteira de motorista de cinco para dez anos e o aumento de 20 para 40 pontos do limite para a suspensão do documento. Para ele, esses dois pontos devem ser mantidos.

"O que é mais importante é a validade da carteira de motorista para dez anos e a pontuação [aumentar para] 40. E mais uma coisinha ou outra. Vai fazer uma lipoaspiração. É um bom projeto", disse.

Bolsonaro disse que se comprometeu com Maia a sancionar a proposta ainda neste ano, no plenário da Câmara dos Deputados, caso ela seja aprovada rapidamente.
"Ele [Maia] garante a votação da proposta. Eu acho que esses dois pontos são quase consenso lá dentro", disse.

Veja também

Homem ameaça banhista com um jacaré em praia no Rio
BRASIL

Homem ameaça banhista com um jacaré em praia no Rio

Pesquisadores confirmam presença de onça-parda na zona oeste do Rio
Brasil

Pesquisadores confirmam presença de onça-parda na zona oeste do Rio