Bolsonaro reage a vídeo e diz que não há referência à interferência na PF

Jair Bolsonaro afirmou que a revelação da gravação é 'mais um tiro n'água'

Presidente da República, Jair BolsonaroPresidente da República, Jair Bolsonaro - Foto: Alan Santos/PR

Em reação à divulgação de vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a revelação da gravação é "mais um tiro n'água" e que não há nela qualquer menção à interferência na Polícia Federal.

"Cadê a parte do vídeo onde eu falo em [mudar] superintendência da Polícia Federal ou diretoria-geral que deve ser substituído? Não existe, eu falo da minha segurança pessoal", declarou Bolsonaro, em entrevista à rádio Jovem Pan no final da tarde desta sexta-feira (22).

"[É] mais um tiro n'água, mais uma farsa desmontada, como tantas outras", declarou.

Leia também:
Celso de Mello libera íntegra de vídeo de reunião ministerial com Moro e Bolsonaro
Bolsonaro chama Doria de 'bosta' e Wtizel de 'estrume' em gravação de reunião
Em reunião, Bolsonaro diz ter sistema de informações 'particular' e reclama de órgãos oficiais


O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu tornar pública a íntegra do vídeo da reunião ministerial citada pelo ex-ministro Sergio Moro em depoimento à Polícia Federal como um indício de que o presidente Jair Bolsonaro desejava interferir na autonomia da Polícia Federal.

Bolsonaro também comentou a divulgação da gravação em suas redes sociais.
Ele publicou um trecho do vídeo com a mensagem "mais uma farsa desmontada". "Nenhum indício de interferência na Polícia Federal", escreveu.

Veja também

Ministério da Saúde autoriza uso da Pfizer para 2ª dose de grávidas que tomaram AstraZeneca
VACINAÇÃO

Ministério da Saúde autoriza uso da Pfizer para 2ª dose de grávidas que tomaram AstraZeneca

Covid-19: Brasil tem 19.632.443 casos e 548.340 mortes
Pandemia

Covid-19: Brasil tem 19.632.443 casos e 548.340 mortes