Bolsonaro vai sobrevoar áreas atingidas pelas chuvas em MG

Maior número de vítimas fatais foi registrado em Belo Horizonte

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro vai sobrevoar nesta quinta-feira (3) áreas afetadas pelas chuvas em Minas Gerais. A agenda ocorrerá no período da tarde, informou o Palácio do Planalto. Mais de 100 municípios do estado tiveram situação de emergência decretada em decorrência dos estragos causados, incluindo alagamentos, desmoronamento de construções, transbordamento de rios e deslizamento de terras. Até agora, as chuvas já provocaram 54 mortes no estado.

De acordo com o boletim divulgado pela Defesa Civil estadual às 10 horas desta quarta-feira (29), o maior número de vítimas fatais foi registrado em Belo Horizonte, onde o total de mortos chega a 13. Em seguida vem Betim (6); Ibirité e Luisburgo (5, em cada). Quarenta e duas pessoas morreram soterradas e 11 afogadas ou por outras causas, após serem arrastadas pelas águas.

O último levantamento indica que há, em todo estado, 38.703 pessoas desalojadas, ou seja, que tiveram que deixar suas casas e, provisoriamente, se alojar na casa de parentes ou amigos. Outras 8.157 pessoas, sem ter para onde ir, buscaram abrigos, na maioria das vezes improvisados em escolas ou igrejas.

Leia também:
Bolsonaro diz que Regina Duarte poderá trocar 'quem quiser' na Cultura
Com chuvas perto do triplo da média, MG tem 53 mortos em cinco dias


Em memória das vítimas, foi respeitado um minuto de silêncio durante um evento do presidente Jair Bolsonaro com cantores sertanejos, no Palácio do Planalto, durante a manhã desta quarta-feira.

No último domingo (26), o governo federal informou que foram disponibilizados R$ 90 milhões, de forma imediata, aos municípios atingidos por chuvas desde 17 de abril. Os recursos são procedentes do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Veja também

Com doses da vacina de Oxford já no Rio, distribuição deve começar este sábado
Astrazeneca/Oxford

Com doses da vacina de Oxford já no Rio, distribuição deve começar este sábado

OMS afirma ser cedo demais para determinar origem do coronavírus
CIÊNCIA

OMS afirma ser cedo demais para determinar origem do coronavírus