A-A+

Brasil e Argentina devem se ajudar, diz Mourão em posse de Fernández

Mourão chegou a Buenos Aires na noite de segunda-feira (9), depois de uma decisão do presidente Bolsonaro, e hospedou-se na residência da Embaixada do Brasil

Hamilton MourãoHamilton Mourão - Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Enviado de última hora à Argentina para a posse do presidente Alberto Fernández, o vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, disse a jornalistas na manhã desta terça-feira (10) que está "contente por representar o Brasil" e que "ambos os países têm de se ajudar mutuamente". Mourão chegou a Buenos Aires na noite de segunda-feira (9), depois de uma decisão do presidente Bolsonaro, e hospedou-se na residência da Embaixada do Brasil.

O futuro embaixador do Brasil na Argentina, Daniel Scioli, valorizou a presença de Mourão na posse, dizendo ser um gesto "contundente e muito positivo para a nova relação que começa e, principalmente, para o comércio bilateral". Acrescentou, ainda, que pretende, como embaixador, "superar o mal-estar inicial e encerrar a divisão que há entre os dois países". "As diferenças que tivemos no início devem ficar no passado. Sou um homem de experiência justamente nisso, em promover reconciliações", disse à reportagem.

O dia da posse de Fernández começou agitado, com a chegada de várias delegações do exterior. O presidente do Chile, Sebastián Piñera, cancelou sua vinda devido ao desaparecimento de um avião na noite anterior.

Leia também:
Bolsonaro recua e decide enviar Mourão à posse de Fernández na Argentina
Fernández recebe Maia e anuncia ex-vice argentino como embaixador no Brasil
Fernández disposto a dar asilo a Evo Morales quando assumir a presidência

Já com relação à Venezuela, houve problemas com a chegada do representante de Nicolás Maduro, o ministro da comunicação, Jorge Rodríguez, que está na lista dos funcionários chavistas vetados pelos países do Grupo de Lima. O atual presidente argentino, Mauricio Macri, mantém uma proibição expressa de que ele ingresse no país.

Seu avião, porém, saiu da Venezuela e está por chegar a Buenos Aires, provavelmente antes da posse de Fernández. Ainda não se sabe se sua entrada será permitida. O presidente do Peru, Martín Vizcarra, está a caminho, assim como o do Paraguai, Mario Abdo, e o do Uruguai, Tabaré Vázquez, que virá acompanhado do presidente eleito de seu país, Luis Lacalle Pou.

Veja também

G20: Brasil vai priorizar temas como saúde, tecnologia e meio ambiente
Brasil

G20: Brasil vai priorizar temas como saúde, tecnologia e meio ambiente

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI
CNI

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI