Cármen Lúcia discute situação carcerária com juízes da Região Norte

Ida da presidente do STF a Manaus ocorre três dias depois da rebelião que terminou com 56 presos mortos

Urna eletrônicaUrna eletrônica - Foto: Divulgação

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, está reunida a portas fechadas, desde as 8h, no horário local de Manaus, com os presidentes dos tribunais de justiça da região Norte, na sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Leia mais:
Maia diz que pauta da Câmara pode incluir propostas sobre situação de presídios
Sob pressão, Temer rompe o silêncio e diz que massacre em presídio foi "pavoroso"
Governo do AM rebate ministro da Justiça e sugere conivência federal
Governo do Amazonas sabia de plano de fuga antes de massacre, diz ministro
Nações Unidas cobram medidas urgentes contra violência nas prisões do Brasil
OAB processa governo do Amazonas e juíza dá 72 horas para defesa


A ida de Cármen Lúcia a Manaus ocorre três dias depois da rebelião que terminou com 56 presos mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), entre os dias 1º e 2 de janeiro, e que motivou a reunião dos judiciários da Região Norte. Também eram esperados para o encontro desta quinta-feira os presidentes do TJs do Maranhão e do Rio Grande do Norte.

Ontem (4), Cármen Lúcia, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), recebeu em seu gabinete o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, com quem também discutiu a situação das prisões brasileiras.

Por questões de segurança, não estão previstas visitas de Cármen Lúcia a presídios locais. Desde que assumiu o comando do Judiciário, em setembro, a ministra tem feito visitas surpresa a penitenciárias do país e já esteve em unidades prisionais no Distrito Federal, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Moraes também esteve em Manaus na segunda-feira (2), quando se reuniu com o governador do Amazonas, José Melo.

Veja também

Prazo para contestar auxílio emergencial negado no dia 10 acaba nesta quinta (22)
Auxílio Emergencial

Prazo para contestar auxílio emergencial negado no dia 10 acaba nesta quinta (22)

Conselho de Enfermagem apura denúncias de fraude na vacinação em São Paulo
Coronavirus

Conselho de Enfermagem apura denúncias de fraude na vacinação em São Paulo