Caso Joaquim: Pai espalha outdoors em busca de acusado

Além de Ribeirão, os outdoors foram colocados em Barretos, São Carlos e Guará e uma página foi criada numa rede social.

DogmanDogman - Foto: Divulgação

 

Após o técnico em informática Guilherme Raymo Longo confessar em uma entrevista à TV ter matado o enteado, Joaquim Ponte Marques, 3, e desaparecer, o pai do garoto, Arthur Paes, espalhou outdoors em busca de seu paradeiro em cidades paulistas.

O menino desapareceu de casa, em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) em 5 de novembro de 2013, e seu corpo foi encontrado cinco dias depois, no rio Pardo, em Barretos (a 423 km de São Paulo). Além de Ribeirão, os outdoors foram colocados em Barretos, São Carlos e Guará e uma página foi criada numa rede social.

As peças têm foto de Longo, telefones para denúncias e a frase: “Pelo amor de um pai e toda família do menino Joaquim, colabore com informações para que Guilherme Longo seja preso pela crueldade do crime que confessou!”. Em entrevista à TV, Longo disse que “não raciocinou direito” e acabou “fazendo besteira”. Segundo ele, o garoto foi morto por estrangulamento.

 

Veja também

Brasil registra 24.818 novos casos e 566 mortes pela Covid-19 nas últimas 24h
boletim

Brasil registra 24.818 novos casos e 566 mortes pela Covid-19 nas últimas 24h

Senado aprova indicação de Kassio Nunes ao STF
POLÍTICA

Senado aprova indicação de Kassio Nunes ao STF