Corpo de bebê que morreu em atropelamento no Rio é liberado para enterro

O pai da criança já recebeu a declaração de óbito para tratar do enterro

O acidente deixou um bebê de oito meses morto e 16 pessoas feridasO acidente deixou um bebê de oito meses morto e 16 pessoas feridas - Foto: Antonio Lacerda / Agência EFE

A Polícia Civil informou que o corpo da bebê Maria Louise Araujo Azevedo, de 8 meses, já foi necropsiado no Instituto Médico-Legal (IML) e liberado. O pai da criança já recebeu a declaração de óbito para tratar do enterro. Maria Louise morreu nessa quinta-feira (18) no final da noite da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), de Copacabana, para onde foi levada, vítima de atropelamento no calçadão da Praia de Copacabana, altura da Rua Figueiredo de Magalhães, com mais 16 pessoas.

A mãe da bebê, Niedja da Silva Araujo, recebeu a visita da avó, que mora fora do Rio e foi passear no calçadão da praia levando Maria Louise no carrinho de bebê, quando um carro, desgovernando, dirigido por Antonio de Almeida Anaquim, atravessou a pista e a ciclovia, atropelando várias pessoas que estavam no calçadão. O carro só parou na areia da praia.

Leia também:
Mãe da bebê atropelada diz que tudo aconteceu muito rápido
Bebê morre em atropelamento no calçadão de Copacabana; mãe fica ferida
Motorista que feriu 16 e matou um bebê em acidente no Rio deixa a delegacia
Carro invade calçadão e atropela pedestres em Copacabana

Niedja, que mora na Ladeira dos Tabajaras, ali mesmo em Copacabana, também foi atropelada e sofreu escoriações nas duas pernas e no ombro, sendo liberada nesta sexta-feira (19) do Hospital Souza Aguiar, na região central da cidade, para onde foram levadas as vítimas que sofreram ferimentos mais leves.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o caso mais grave é o do australiano Daniel Marcos Philips, 68 anos, que já mora no Brasil há 20 anos, contrariamente ao informado antes, de que estava no Rio como turista.

Philips está internado em estado gravíssimo no Hospital Miguel Couto, na zona sul, e respira com auxílio de aparelhos. Ele foi identificado por meio da cópia de um passaporte emitido em 2010. Ele foi reconhecido oficialmente hoje à tarde por um casal que o visitou no hospital e passou as informações.

Veja também

Brasil confirma primeiro caso de gato infectado pelo coronavírus
Coronavírus

Brasil confirma primeiro caso de gato com o vírus

Criminosos sequestram trem na Zona Norte do Rio de Janeiro
Violência

Criminosos sequestram trem na Zona Norte do Rio de Janeiro