Corpo é localizado em escombros de prédio; 5 seguem desaparecidos

Com cães farejadores, o Corpo de Bombeiros o primeiro corpo de um dos desaparecidos do desabamento do prédio Wilton Paes de Almeida.

Bombeiros em meio aos destroços do prédio que desabouBombeiros em meio aos destroços do prédio que desabou - Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O Corpo de Bombeiros localizou nesta sexta-feira (4) o primeiro corpo de um dos desaparecidos do desabamento do prédio Wilton Paes de Almeida, ocupação de sem-teto de 26 andares que caiu na madrugada da última terça-feira ( 1º), no centro de São Paulo, após um incêndio atingir todo o edifício.

O local onde o corpo foi encontrado sob os escombros foi apontado por Vasty, uma pastora belga, na tarde de quinta-feira (3). Os bombeiros não divulgaram o nome da vítima -o resgate ainda não foi concluído.

Os trabalhos de busca avançaram nesta sexta com o apoio de escavadeiras, que passaram a remover os escombros com mais velocidade. O maquinário pesado conseguiu levar as equipes de resgate até a "zona habitável" no meio dos destroços. No local, os bombeiros encontraram nesta manhã botijões, armários de roupas e eletrodomésticos.

Leia também:
Incêndio começou com curto-circuito no quinto andar, diz secretário
Cães usados na busca em prédio de SP que desabou não encontram vítimas
Prédio de 26 andares em chamas desaba no centro de São Paulo


Oficialmente, desde a manhã desta sexta, os bombeiros trabalham com seis desaparecidos: Ricardo, conhecido como "Tatuagem", Selma e seus dois filhos gêmeos e um casal de sem-teto. A Prefeitura de São Paulo também diz que ainda não localizou o paradeiro de 49 moradores cadastrados que habitavam a ocupação popular antes da tragédia. O 1º corpo encontrado pode ser o de Ricardo, segundo os bombeiros.

A polícia disse que, após ouvir uma testemunha, concluiu que um curto-circuito no 5º andar, provocado por excesso de aparelhos ligados em uma tomada foi a causa do fogo no prédio. No local havia quatro pessoas: marido, mulher e duas filhas.

"O incêndio começou em decorrência de curto-circuito, em uma tomada com TV, micro-ondas e geladeira. Não foi briga de casal. O que aconteceu foi fatalidade", disse Mágino Alves, secretário de Segurança. Dois moradores do cômodo foram hospitalizados. Uma das vítimas é uma criança de 3 anos, em estado grave, diz Mágino. O pai teve dois terços do corpo queimado.

Veja também

Câmara aprova urgência e acelera projeto para substituir Lei de Segurança Nacional
Congresso

Câmara aprova urgência e acelera projeto para substituir Lei de Segurança Nacional

Nove meses após facada, Bolsonaro teve reembolso de R$ 435 mil da Câmara por gastos de saúde
Política

Nove meses após facada, Bolsonaro teve reembolso de R$ 435 mil da Câmara por gastos de saúde