Cozinheiro atropela e mata a esposa de propósito em SP

A frentista ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos

Um cozinheiro de 31 anos foi preso em em flagrante na madrugada de quarta-feira (1) acusado de atropelar intencionalmente e matar a mulher dele, em Jundiaí (58 km de São Paulo). O crime aconteceu na terça-feira (31).

De acordo com a Polícia Civil, o cozinheiro Eduardo Paulo Silva de Oliveira e a mulher dele, a frentista Aline Cristina das Neves, 36, discutiram. Logo depois, ele a seguiu no caminho para o trabalho. Por causa do medo que estava do marido, Aline pediu para um vizinho ir com ela até o posto de gasolina onde trabalhava.

Enquanto seguia, de carro, a frentista, Oliveira queria conversar com ela, segundo a polícia. Como a mulher se recusou, ele acelerou o carro, um Vectra, e a prensou contra o portão de uma casa. Depois deu marcha ré e passou novamente em cima dela. Em seguida, fugiu com o veículo.

A frentista foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O vizinho que a acompanhava ficou ferido no pé e em um braço. Oliveira foi se esconder na casa de um amigo, que, após saber do crime, chamou a polícia. Quando chegou, a polícia encontrou o cozinheiro embaixo de uma cama.

Segundo a delegada Maria Beatriz Cúrio, Oliveira confessou o homicídio, mas não explicou o motivo. "Ele apenas disse que tinha matado a mulher dele. Foi um crime cruel, terrível e desumano", disse. A delegada afirmou que o casal brigava com frequência e que Oliveira já tinha ameaçado a mulher e a família dela. "Ela pediu para ele sair de casa. Porém, ele não aceitou a separação."

Segundo a delegada, a frentista não tinha registrado ocorrência contra o marido, e ele não tinha passagem pela polícia. O casal não tinha filhos. O cozinheiro vai responder por homicídio com o agravante de feminicídio (crime contra mulher).

OUTRO CASO

No sábado passado, Itu (101 km de SP) registrou caso semelhante. Um homem jogou o carro intencionalmente em cima da moto onde estava a ex-mulher e o atual namorado dela. O namorado morreu, e a ex ficou ferida. Ele não aceitava o fim do relacionamento. O homem está foragido.

Veja também

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não
CINEMATECA

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020
SÃO PAULO

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020