Decreto de Doria afasta Kassab da Casa Civil do Governo de São Paulo

Antonio Carlos Maluf assume o cargo de secretário da Casa Civil

João Doria (PSDB) João Doria (PSDB)  - Foto: Nelson Almeida / AFP

O afastamento de Gilberto Kassab (PSD) do cargo de secretário da Casa Civil de João Doria (PSDB) foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo desta sexta-feira (4).  O ex-ministro e também ex-prefeito paulistano pediu licença do cargo para se defender de denúncias de corrupção pelas quais é investigado pela Polícia Federal.

Kassab foi alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, sob suspeita de ter recebido valores ilegalmente da JBS. Na ocasião, foram encontrados em sua casa em São Paulo R$ 300 mil em espécie. Ele nega irregularidades. O secretário foi empossado no dia 1º, no mesmo dia da posse de Doria, ainda que não tenha comparecido à cerimônia.

Segundo decreto de Doria publicado no Diário Oficial, Kassab foi afastado "com prejuízo dos vencimentos e sem quaisquer ônus para o Estado, para tratar de assuntos de interesse particulares". 

"Absolutamente tranquilo sobre sua conduta ao longo da vida pública, Kassab decidiu licenciar-se do cargo para se dedicar à organização e ao encaminhamento das informações solicitadas por sua defesa, que comprovarão a lisura de seus atos", disse, em nota, a assessoria de imprensa do ex-ministro.

Leia também:
Doria sobe tarifa de metrô e CPTM de R$ 4 para R$ 4,30


Durante o afastamento, Antonio Carlos Maluf, ex-secretário de Relações Institucionais na Prefeitura de São Paulo e ex-secretário do governador Mário Covas (PSDB), avô do prefeito tucano Bruno Covas (PSDB), assumirá o cargo de secretário da Casa Civil.

Sobre o caso, Doria afirmou à GloboNews nesta quinta-feira (3) que, comprovada a inocência diante das suspeitas de que recebeu R$ 58 milhões do grupo J&F, Kassab voltará ao cargo. Ele também elogiou o ex-ministro, colocando-o como um dos maiores articuladores políticos do país.

A indicação de Kassab faz parte de um projeto de Doria de concorrer às eleições presidenciais em 2022. Além dele, o tucano nomeou outros seis ex-ministros de Michel Temer (MDB) para comporem seu secretariado.

Veja também

Covid-19: entidade orienta sobre vacinação em pacientes reumáticos
Saúde

Covid-19: entidade orienta sobre vacinação em pacientes reumáticos

Quatro pessoas morrem após acidente entre lanchas em Angra dos Reis
Rio de Janeiro

Quatro pessoas morrem após acidente entre lanchas em Angra dos Reis