Dez estados do país têm piora no acesso à rede de esgoto

A conclusão é de pesquisa do IBGE, que mostrou também que cerca de 23 milhões de domicílios brasileiros em 2018 não estavam conectados à rede de coleta de esgoto

Saneamento Saneamento  - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Dez estados brasileiros tiveram uma piora no índice que mostra o acesso à rede de esgoto entre 2017 e 2018. A maior queda foi em Pernambuco, onde a proporção de domicílios com acesso à rede caiu 5,2 pontos percentuais.

A conclusão é de pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada nesta quarta-feira (22) que mostrou também que cerca de 23 milhões de domicílios brasileiros em 2018 não estavam conectados à rede de coleta de esgoto. 

Leia também:
Ministro defende presença do setor privado na questão do saneamento
Falta saneamento básico para 2 bilhões de pessoas no mundo, diz ONU


O número representa 33,7% das residências, ou seja, aproximadamente um em cada três domicílios não tinha escoamento por rede geral ou por fossa ligada à rede de esgoto no ano passado.

Os dados pertencem à pesquisa Características Gerais dos Domicílios e dos Moradores 2018, feita com base em informações coletadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C).

Desde que começou a ser feita, em 2016, houve pouca melhora na proporção de domicílios que possuem acesso ao serviço. Há dois anos, o índice era de 65,9%, uma diferença de apenas 0,4 ponto percentual.

Nas regiões Norte e Nordeste, o problema é ainda mais grave. No Norte, a falta do serviço atinge 74,1% dos domicílios. No Nordeste são 60% das casas sem tratamento. O menor índice é do Piauí, onde 93% das residências não têm coleta, seguido de Rondônia, com 90,2%. O estado de São Paulo possui o maior índice de acesso ao serviço, que está ausente em apenas 7,4% das casas.

Dez estados tiveram uma piora no índice que mostra o acesso ao esgoto entre 2017 e 2018. A maior foi em Pernambuco, onde a proporção de domicílios com acesso à rede caiu 5,2 pontos percentuais.

A pesquisa também mostra que mais de 17 milhões de domicílios brasileiros não têm disponibilidade diária de água encanada, o que representa 11,7% do total. Em três estados, a falta de água atingia mais de 40% dos domicílios: Rio Grande do Norte (40,2%), Acre (60,3%) e Pernambuco (61,4%).

Um destaque é Brasília. Na capital, a disponibilidade diária de água era de 99,7% em 2016, mas despencou para 43,3% em 2017. No ano passado, o índice foi a 64,4%, ainda inferior ao nível no ano inicial da pesquisa.

Quanto à coleta de lixo diária nos domicílios, o número permaneceu estável, chegando a 82,1%. Apenas no Maranhão o serviço falta para mais de 50% das casas.

Veja também

Quem decide se um povo vai viver democracia ou ditadura são as Forças Armadas, diz Bolsonaro
Presidente

Quem decide se um povo vai viver democracia ou ditadura são as Forças Armadas, diz Bolsonaro

Maia diz que coragem de Bolsonaro não é tão grande para negar CoronaVac e que Pazuello fez papelão
Vacina contra Covid-19

Maia diz que coragem de Bolsonaro não é tão grande para negar CoronaVac e que Pazuello fez papelão