Doença misteriosa causa queda de 70% na venda de peixes em Salvador

Boatos alimentam o pânico na população, que deixa de consumir peixes e causa impacto na renda dos pescadores

A mediação do debate ficará a cargo do dirigente nacional do PDT e deputado federal Túlio Gadêlha.A mediação do debate ficará a cargo do dirigente nacional do PDT e deputado federal Túlio Gadêlha. - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A hipótese de que o consumo de peixe vem causando uma doença misteriosa em Salvador provocou uma redução de quase 70% nas vendas de pescado, principalmente no litoral Norte, região de praias famosas e bem freqüentadas neste verão.

A informação é da Federação dos Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia (Fapesba), que emitiu, nesta quarta-feira (21), uma nota onde “condena o boato” de que a causa da doença é o pescado em geral.

Segundo o presidente da Fapesba, Raimundo Costa, os boatos alimentam o pânico na população, que deixa de consumir peixes e causa impacto na renda dos trabalhadores que têm a pesca como fonte de renda, sobretudo, no período da alta estação, que começa agora em dezembro.

“Nós já estamos passando por uma crise financeira nacional, e essa informação em plena véspera de Natal, Ano Novo, chegada do verão e o fluxo de turismo aumentando, impacta qualquer comércio ligado ao pescado. Isso interferiu na economia dos trabalhadores e na economia do estado também, sobretudo, de Salvador”, argumenta.

Dores musculares e febre

Até ontem (20), a Secretaria de Saúde da Bahia havia notificado 22 pessoas com fortes dores musculares, sem relatos de dores de cabeça ou febre e com identificação de urina preta , além de insuficiência renal em alguns pacientes.

A Fapesba destacou, na nota de hoje, que os casos registrados estão sendo investigados pelo Laboratório de Virologia da Universidade Federal da Bahia, que identificou a presença de vírus nas amostras de sangue dos pacientes.

O pesquisador do laboratório, Gúbio Soares, disse à Agência Brasil que as causas dos sintomas devem ser confirmadas até o fim do ano. Ele opinou que a associação da doença ao consumo de peixes é precoce, argumento utilizado, também, pela Fapesb.

Ao fim da nota, a Federação dos Pescadores diz que a população é advertida sobre o consumo de peixes, que não apresentam riscos comprovados, quando manuseados e conservados de forma higiênica e adequada. O texto reitera a importância de se comer peixes e acrescenta que “sua vulnerabilidade à contaminação é a mesma de qualquer outro alimento”.

Veja também

Museu da Língua Portuguesa usa 'todes' em post na internet e provoca polêmica
Internet

Museu da Língua Portuguesa usa 'todes' em post na internet e provoca polêmica

Fabricante indiana rompe contrato da Covaxin com intermediária na mira da CPI da Covid
CPI da Covid

Fabricante indiana rompe contrato da Covaxin com intermediária na mira da CPI da Covid