A-A+

Em cidade do Ceará, prefeito exonera secretário da Cultura após beijo gay em circo

A convenção estava sendo realizada na cidade desde o último dia 12 e foi acabou neste domingo

Acilon Gonçalves Acilon Gonçalves  - Foto: Divulgação

O prefeito da cidade de Eusébio (24 km de Fortaleza), Acilon Gonçalves (PR), demitiu o seu secretário de Cultura neste domingo (19) após a prefeitura ter apoiado a apresentação de espetáculo circense com temática erótica na qual havia uma cena de beijo gay.

O espetáculo "Erotic Circus Show", da companhia circense Verticarte, foi encenado na cidade na madrugada de domingo dentro da programação da 20ª Convenção Brasileira de Malabares e Circo.

A convenção estava sendo realizada na cidade desde o último dia 12 e foi acabou neste domingo. A programação incluiu oficinas, espetáculos e mesas redondas sobre artes circenses. Com classificação indicativa de 18 anos, o espetáculo foi programado para começar 1h da madrugada. Aconteceu dentro de um espaço fechado e com controle de acesso. Mesmo assim, o espetáculo acabou sendo alvo de críticas de uma parcela da população que acompanhou a encenação.

Leia também:
Casal de mulheres é alvo de agressão em Olinda durante as prévias


O principal foco das reclamações foi uma cena em que dois atores homens se beijam. A cena foi gravada por uma das pessoas que foi assistir ao espetáculo e o vídeo repercutiu em redes sociais dos moradores da cidade.

Após a repercussão do espetáculo, o prefeito Acilon Gonçalves exonerou o secretário municipal de Cultura, Léo Abreu. A reportagem não conseguiu entrar em contato com o ex-secretário.

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o prefeito justificou a sua decisão afirmando que "deturpações graves" aconteceram no âmbito da convenção circense.
"Deturpações graves aconteceram, ferindo a ética, os princípios religiosos e a moral. E nós não podemos compactuar jamais com coisas deste tipo", disse o prefeito, sem fazer nenhuma referência direta ao espetáculo.

Organizador da Convenção Brasileira de Malabares e Circo, Maurício Rodrigues afirmou que o espetáculo não aconteceu em um espaço aberto e teve controle de classificação etária. "O título já anunciava qual era o tema do espetáculo e a comunidade sabia disso. Não era um acontecimento público, mas uma obra de arte encenada em um espaço fechado", afirma Rodrigues, que também criticou a gravação de imagens do espetáculo e a sua divulgação sem a autorização da produção.

Rodrigues ainda afirmou que o prefeito agiu de forma "grotesca" ao atender a uma "onda de falso moralismo" e demitir o seu secretário de Cultura. "Foi mais um capítulo do cenário que estamos vivendo em nível nacional, de censura, boicote e perseguição das artes", afirmou.

Veja também

Homem ameaça banhista com um jacaré em praia no Rio
BRASIL

Homem ameaça banhista com um jacaré em praia no Rio

Pesquisadores confirmam presença de onça-parda na zona oeste do Rio
Brasil

Pesquisadores confirmam presença de onça-parda na zona oeste do Rio