Empresário suspeito de violência doméstica xinga e ameaça PM em Alphaville

O caso foi parar nas redes sociais, com a divulgação do vídeo em que o empresário ofende e ameaça o PM

Empresário paulista desacata policial militarEmpresário paulista desacata policial militar - Foto: Reprodução

Uma denúncia de violência doméstica contra o empresário Ivan Storel, 49, acabou em confusão e humilhação de um policial militar, num condomínio de Alphaville, em Santana de Parnaíba (Grande SP), na tarde de sábado (30).

O caso foi parar nas redes sociais, com a divulgação do vídeo em que o empresário ofende e ameaça o PM. Segundo relatos, a esposa do empresário ligou para a polícia por causa de uma briga, com possível agressão.

Ao chegar à residência de Storel, os policiais, um homem e uma mulher, foram agredidos verbalmente pelo empresário.

No vídeo, gravado pela policial que estava na viatura, Storel fala ao telefone e pede ajuda a um homem de nome Marinho (supostamente o secretário de Relações Institucionais de Barueri). Pede para chamar também "o secretário de segurança e até o [prefeito de Barueri, Rubens] Furlan".

O empresário grita palavrões ao policial e ordena que saia da sua calçada. "Tem um filho da puta querendo invadir minha casa. Esse merda tá achando que ele é o quê?". Depois, diz ao policial: "Não pise na minha calçada, não pisa na minha rua. Eu vou te chutar na cara. Você é um lixo, seu merda".

Storel disse ainda que o PM ganha R$ 1.000 por mês, enquanto ele (empresário) ganha R$ 300 mil. Também ameaçou processar o PM. E prosseguiu com os insultos: "Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano!"

Com a chegada de reforço policial, o empresário foi contido e levado à Delegacia da Mulher de Santana de Parnaíba, onde foi registrada ocorrência como desacato e resistência. A mulher do empresário não quis dar continuidade à denúncia de ameaça e injúria.

De acordo com o boletim de ocorrência do caso, o empresário estava "ébrio e agressivo", resistiu à abordagem e proferiu "palavras de baixo calão" contra os policiais. Storel foi levado à delegacia após "uso moderado da força para devida imobilização". Ele foi liberado após assinar um termo circunstanciado.

Veja também

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não
CINEMATECA

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020
SÃO PAULO

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020