Esposa é presa por morte de embaixador grego no Rio de Janeiro

Ela teria planejado o crime com o amante, um policial militar, e o primo dele

Alunos da rede pública participam de quiz sobre o Poder LegislativoAlunos da rede pública participam de quiz sobre o Poder Legislativo - Foto: Divulgação

O embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, foi assassinado com a cumplicidade de sua esposa na Baixada Fluminense - em um crime planejado pela mulher e seu amante, um policial militar, informou nesta sexta-feira (30) a Polícia Civil do Rio de Janeiro.

A esposa do diplomata, Françoise de Souza Oliveira, de 40 anos, assim como seu amante, Sérgio Gomes Moreira, de 29, e um primo dele, de 24, que ajudou a tirar o corpo da residência, foram detidos pela morte do embaixador, informou o delegado Evaristo Ponte em coletiva de imprensa.

Amiridis, 59 anos, estava de férias com a família no Rio e deveria voltar a Brasília em 9 de janeiro, mas na quarta-feira Françoise denunciou que não tinha notícias do marido desde a noite de segunda-feira, quando ele teria saído do apartamento que mantinham em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Na quinta-feira, um carro carbonizado com um corpo dentro foi encontrado debaixo de um viaduto da região, e o veículo foi identificado como o alugado pelo embaixador.

Diante de várias contradições dos envolvidos, a polícia concluiu que Françoise e Sergio Gomes, "pessoa de confiança" da família, "planejaram" o assassinato de Kyriakos Amiridis e pediram ajuda a Eduardo Moreira de Melo, primo do policial militar.

Françoise, inclusive, teria prometido pagar 80 mil reais a Eduardo Moreira por sua ajuda no crime.

A polícia concluiu que Amiridis foi assassinado na residência do casal em Nova Iguaçu, cidade onde Françoise tem familiares.

Sérgio Gomes Moreira disse à polícia que teve uma briga com Amiridis no apartamento, e que acabou atirando com uma arma que pertenceria ao próprio diplomata, mas a polícia acredita que a vítima foi esfaqueada, já que os vizinhos não ouviram barulho de tiro na noite do crime.

Veja também

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não
CINEMATECA

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020
SÃO PAULO

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020