SAUDADE

'Eu não sabia o tamanho que meu filho representava', diz mãe de Paulo Gustavo

Paulo Gustavo com a mãe, Déa LúciaPaulo Gustavo com a mãe, Déa Lúcia - Foto: Divulgação

"Eu vou falar. O meu filho merece que eu fale". Assim começou a entrevista com Déa Lúcia Amaral, mãe do ator Paulo Gustavo, que morreu na terça-feira (4), aos 42 anos, em decorrência de complicações da Covid.

Emocionada, Déa Lúcia, que inspirou a Dona Hermínia, principal personagem do humorista, falou com Renata Ceribelli na abertura do Fantástico deste domingo (9). "Eu quero agradecer o povo brasileiro todo esse apoio que eles me deram, de oração o tempo todo. Eu não sabia o tamanho que meu filho representava. Ele passou que nem um cometa pela vida", disse Déa Lúcia.

Ela ainda mostrou força diante da morte do filho, apesar das circunstâncias. "A morte é uma coisa certa na vida da gente. A gente só espera que uma mãe vá na frente, porque é muito duro", disse.

"Eu chorei com cada mãe, e choro, e vou continuar chorando, mas essa luta vai ser minha. Eu vou lutar agora e vou falar o tempo todo. Na pandemia, cada morte de um filho, eu chorava por essa mãe sem saber que meu filho ia passar por isso", falou Déa Lúcia sobre o sofrimento causado nas famílias em decorrência da pandemia de Covid.

Renata Ceribelli questionou o que Paulo Gustavo estaria dizendo à sua mãe no momento da entrevista. Déa Lúcia respondeu: "'Mãe, você vai dar uma entrevista no Fantástico. Cuidado com o que você vai falar que você acaba com a minha carreira'".

A irmã do ator, Ju Amaral, também participou da entrevista. Emocionada, disse que que seu irmão era seu melhor amigo, e elogiou Déa Lúcia. "Minha mãe é uma rocha. Eu deveria estar consolando ela, mas ela é quem faz isso 24 horas por mim", disse Ju.

O pai de Paulo Gustavo, Júlio Marcos, e sua esposa, Penha, apelidada carinhosamente pelo ator de "mãedrasta", também falaram ao lado da mãe do ator. Nesse momento, Déa Lúcia revelou como foi o momento da morte do humorista.

A família de Paulo Gustavo havia sido chamada após a morte cerebral do ator. "Juliana em uma mãozinha dele, eu na outra, o Thales [marido de Paulo Gustavo] no pé, e Júlio fazendo carinho na cabeça. Eu chamei Penha e falei 'vem cá, Penha, segure aqui comigo porque você também participou da vida dele", disse Déa Lúcia.

Em seguida, os familiares cantaram a Canção de São Francisco, que Paulo Gustavo sempre pedia para a sua mãe cantar desde pequeno. Eles relatam ainda que, nesse momento, frequência cardíaca do ator foi caindo, até parar, ainda durante a oração. "E pronto. Foi uma despedida bonita", disse Déa Lúcia.

O corpo do ator foi cremado em cerimônia restrita na tarde desta quinta-feira (6), no Cemitério e Crematório Alto da Colina, em Niterói, no Rio de Janeiro.

Veja também

Angelina Jolie diz que filha sofreu racismo em tratamento médico
CELEBRIDADES

Angelina Jolie diz que filha sofreu racismo em tratamento médico

Carlos Alberto de Nóbrega diz que humor na TV aberta caminha para buraco
Televisão

Carlos Alberto de Nóbrega diz que humor na TV aberta caminha para buraco