Ex-secretário de Obras do Rio é preso em operação da PF e do Ministério Público

A ação, em conjunto com o Ministério Público Federal, mobiliza aproximadamente 80 agentes em três unidades da federação: Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Operação Inimigo Oculto, com o objetivo de desarticular um grupo de criminosos que causou um prejuízo de quase R$ 1 milhão à Caixa Econômica FederalOperação Inimigo Oculto, com o objetivo de desarticular um grupo de criminosos que causou um prejuízo de quase R$ 1 milhão à Caixa Econômica Federal - Foto: Arquivo/Agência Brasil

O ex-secretário de Obras da Prefeitura do Rio de Janeiro Alexandre Pinto, o ex-subsecretário Vagner de Castro Pereira e o doleiro Juan Bertran foram presos nesta terça-feira (23) pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Mãos à Obra. A ação, em conjunto com o Ministério Público Federal, mobiliza aproximadamente 80 agentes em três unidades da federação: Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

A ação é um desdobramento da Operação Rio 40 Graus. O objetivo é apurar a existência de esquemas de recebimento de vantagens indevidas e desvio de recursos públicos em obras contratadas pela Secretaria de Obras do Município do Rio de Janeiro (SMO).

A operação cumpre nove e não seis mandados de prisão, como informou inicialmente o Ministério Público. São seis mandados de prisão preventiva e três de prisão temporária; além de 18 mandados de busca e apreensão expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal/RJ.

A Polícia Federal concederá entrevista coletiva às 10h30 para detalhar a operação e oficializar o número de prisões.

Leia também:
PF e Ministério Público fazem operação contra fraudes em obras no Rio
Moro e juíza do Rio intimam PF sobre uso de algemas e correntes em Cabral

Veja também

Traficantes de fósseis encontrados no Ceará são alvo de operação da PF
Investigação

Traficantes de fósseis encontrados no Ceará são alvo de operação da PF

Contratação de temporários para fim de ano será tímida
Comércio

Contratação de temporários para fim de ano será tímida