Crise dos combustíveis

Forças Armadas vão agir de forma rápida e enérgica, diz Defesa

O ministro interino da Defesa, Joaquim Silva e Luna, fez uma reunião para definir as atividades que visam dar normalidade nas atividades do país, prejudicadas pela paralisação dos caminhoneiros que já se estende pelo quinto dia

Militares do ExércitoMilitares do Exército - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Após o presidente Michel Temer ter anunciado que o governo usará as forças federais para conter a crise de desabastecimento, o Ministério da Defesa divulgou nota dizendo que as Forças Armadas terão atuação "rápida, enérgica e integrada".

O ministro interino da Defesa, Joaquim Silva e Luna, fez uma reunião para definir as atividades que visam dar normalidade nas atividades do país, prejudicadas pela paralisação dos caminhoneiros que já se estende pelo quinto dia.

Participaram do encontro os comandantes das três Forças Armadas, com o chefe de Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e com o comandante de Operações Terrestres do Exército.

Leia também:
Temer convoca forças federais de segurança para desbloquear estradas
Acordo com caminhoneiros não vai levar a aumento de imposto, diz Marun

"As Forças Armadas serão empregadas em reforço às ações federais e estaduais, disponibilizando meios em pessoal e material para: distribuição de combustível nos pontos críticos; escolta de comboios; proteção de infraestruturas críticas; e desobstrução de vias e acessos às refinarias, bases de distribuição de combustíveis e áreas essenciais, a fim de evitar prejuízos à sociedade", explica a nota.

Veja também

Brasil contabiliza quase 43 mil novos casos de Covid-19
Coronavírus

Brasil registra 42.980 mil novos casos de Covid-19

Bolsonaro diz que Fiocruz entrega mais 18 milhões de vacinas esse mês

Bolsonaro diz que Fiocruz entrega mais 18 milhões de vacinas esse mês