'Geisel não foi eleito, eu fui', diz Mourão sobre militares no governo

Segundo Mourão, há preocupação com o sucesso do governo Jair Bolsonaro devido à maior presença de militares em cargos-chave

Hamilton MourãoHamilton Mourão - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O vice-presidente Hamilton Mourão, questionado sobre a percepção do presidente Ernesto Geisel (1974-79) de que governar não era tarefa das Forças Armadas, declarou: "O general Geisel não foi eleito, eu fui".

A declaração foi dada pelo vice-presidente neste domingo (7), durante debate na Brazil Conference, evento organizado em Boston (EUA) pelos alunos da universidade Harvard e do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

Nesse momento, o vice-presidente foi ovacionado pelo público. Uma pessoa, porém, gritou "ditadura nunca mais" e foi rapidamente retirada do auditório por seguranças.

Segundo Mourão, há preocupação com o sucesso do governo Jair Bolsonaro devido à maior presença de militares em cargos-chave.

"Se nosso governo falhar, errar demais, não entregar o que está prometendo, essa conta irá para as Forças Armadas, daí a nossa extrema preocupação", disse.

Apesar de afirmar que a conta de um eventual fracasso do governo vai para o colo dos militares, Mourão tentou minimizar o peso da farda na gestão de Bolsonaro.

Ele disse que o presidente é "mais político do que militar", pois está no Congresso há quase 30 anos e que os auxiliares no comando de pastas importantes, como o GSI (Gabinete de Segurança Institucional), com o general Augusto Heleno, e a Secretaria de Governo, com o general Santos Cruz, já estavam na reserva.

Veja também

Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
BRASIL

Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas

Login sem senha? Microsoft quer que usuários apostem em outras formas de segurança
SEGURANÇA

Login sem senha? Microsoft quer que usuários apostem em outras formas de segurança