Governo prevê salário mínimo de R$ 1.079 em 2021

No ano passado, o governo decidiu acabar com a política de reajuste real do salário mínimo

DinheiroDinheiro - Foto: Pixabay

Em projeto orçamentário enviado ao Congresso nesta quarta-feira (15), o governo Jair Bolsonaro prevê que o salário mínimo passará de R$ 1.045 para R$ 1.079 em 2021. O valor estimado não promove ganho real aos trabalhadores.

A proposta que traça as diretrizes para o Orçamento de 2021 estima que o piso de salários no Brasil terá uma correção de 3,25%, referente à previsão de variação da inflação no período.

No ano passado, o governo decidiu acabar com a política de reajuste real do salário mínimo. Agora, o valor se limita a seguir a determinação da Constituição, que fala em preservação do poder aquisitivo do trabalhador.

Leia também:
Secretário defende congelar salário de servidor público durante crise do coronavírus
Um milhão de trabalhadores já tiveram salário e jornada reduzidos após MP


O ganho real do salário mínimo foi implementado informalmente em 1994, por Fernando Henrique Cardoso (PSDB), logo após a adoção do Plano Real. As gestões petistas oficializaram a medida.

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estabeleceu a fórmula de reajuste pela inflação medida pelo INPC mais a variação do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes. Dilma Rousseff (PT) transformou a regra em lei. Michel Temer (MDB), que governou durante a recessão, não mudou a legislação.

O fim dos ganhos acima da inflação foi colocado em prática pelo governo Jair Bolsonaro no ano passado e está em linha com uma das bandeiras do ministro da Economia, Paulo Guedes, que defende uma ampla desvinculação do Orçamento.

Com a medida concretizada, o governo ganha uma folga nas contas públicas, porque o aumento do salário mínimo reajusta automaticamente benefícios previdenciários e assistenciais.

Para cada R$ 1 de aumento no valor do mínimo, o governo amplia em cerca de R$ 355 milhões as despesas anuais.

Veja também

'Se casal deu qualquer informação falsa pra mim, não fico na causa', diz advogado de Dr. Jairinho
Henry Borel

'Se casal deu qualquer informação falsa pra mim, não fico na causa', diz advogado de Dr. Jairinho

Merendeira que ajudou crianças em massacre de Suzano é 1ª profissional de educação vacinada
Covid-19 no Brasil

Merendeira que ajudou crianças em massacre de Suzano é 1ª profissional de educação vacinada