Grávida desaparece após embarcar no metrô de São Paulo

Segundo a Polícia Civil e os familiares da gestante, Kelly saiu de casa para encontrar uma amiga na Vila Madalena

Paulo, Apóstolo de Cristo Paulo, Apóstolo de Cristo  - Foto: Internet / Reprodução

A Polícia Civil apura o desaparecimento da gestante de oito meses Kelly Cristina Arruda Martins, 37 anos, na última sexta-feira. A polícia encontrou imagens dela na estação Tatuapé (linha 3-vermelha) do metrô, na noite daquele dia, após ela descer de um veículo do Uber.

Segundo a Polícia Civil e os familiares da gestante, Kelly saiu de casa para encontrar uma amiga na Vila Madalena (zona oeste). Ela chamou um carro do Uber e desceu no Tatuapé (zona leste). A amiga falou com ela por telefone por volta das 18h30 e Kelly contou que estava na estação de metrô.

Desde então, a gestante não deu mais notícias. Em depoimento à polícia, o motorista do aplicativo contou que ela mudou de trajeto no meio do caminho (seu destino inicial era a estação Penha). Ele também contou que a gestante estava tranquila e conversou três vezes ao telefone. A polícia diz que o trajeto do aplicativo coincidiu com essa versão.

Câmeras de segurança do metrô mostram a jovem, sozinha, embarcando na estação Tatuapé, no sentido Sé. A polícia aguarda imagens do Shopping Tatuapé, porque a gestante tinha uma conta para pagar em uma loja. Porém, a família já conseguiu verificar no local que o boleto não foi quitado.

A polícia pediu à Justiça quebra do sigilo telefônico e bancário de Kelly.
Segundo a dona de casa Patrícia Martins, 39 anos, tia da gestante, ela nunca desapareceu e quase não estava saindo de casa por causa dos últimos dias de gestação. "Ela poderia até sumir, mas não iria fazer isso sem levar sua filha de 11 anos. É uma dor muito grande e não tentamos pensar no pior", afirmou a tia.

Veja também

Após reunião com Mourão, fundo nórdico diz que falta plano sobre desmatamento
Meio Ambiente

Após reunião com Mourão, fundo nórdico diz que falta plano sobre desmatamento

Senadores cobram negociação para não derrubar veto de Bolsonaro à desoneração da folha
pagamento

Senadores cobram negociação para não derrubar veto de Bolsonaro à desoneração da folha