Greenpeace encontra agrotóxico em merenda

A empresa analisada abastece com alimentos 171 escolas em 24 bairros cariocas.

Branca Como a Neve Branca Como a Neve  - Foto: Reprodução/ Adorocinema

 

Uma pesquisa feita pela organização não governamental Greenpeace encontrou resíduos de pesticida em 60% das amostras de alimentos recolhidos de um fornecedor de merenda para escolas municipais do Rio. Para fazer o levantamento, a ONG comprou 40 quilos de alimentos de uma das seis empresas que fornecem produtos para a Secretaria Municipal de Educação.

A empresa analisada abastece com alimentos 171 escolas em 24 bairros cariocas. Depois de adquirir os alimentos, as amostras fo­ram divididas em 20 lotes de dois quilos cada um e encaminhadas para o Laboratório de Resíduos de Pesticidas do governo paulista.

Doze das 20 amostras apresentaram resíduos de pesticidas, inclusive aquelas com arroz e feijão carioquinha. Em duas amostras (10% do total) de couve foi encontrado um químico proibido no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária: o metamidofós. Em outros sete lotes (35% do total), de feijão, pepino e pimentão, técnicos constataram o agrotóxico benfuracarbe, cujo uso é proibido para essas lavouras.

 

Veja também

Após reunião com Mourão, fundo nórdico diz que falta plano sobre desmatamento
Meio Ambiente

Após reunião com Mourão, fundo nórdico diz que falta plano sobre desmatamento

Senadores cobram negociação para não derrubar veto de Bolsonaro à desoneração da folha
pagamento

Senadores cobram negociação para não derrubar veto de Bolsonaro à desoneração da folha