Greenpeace encontra agrotóxico em merenda

A empresa analisada abastece com alimentos 171 escolas em 24 bairros cariocas.

Branca Como a Neve Branca Como a Neve  - Foto: Reprodução/ Adorocinema

 

Uma pesquisa feita pela organização não governamental Greenpeace encontrou resíduos de pesticida em 60% das amostras de alimentos recolhidos de um fornecedor de merenda para escolas municipais do Rio. Para fazer o levantamento, a ONG comprou 40 quilos de alimentos de uma das seis empresas que fornecem produtos para a Secretaria Municipal de Educação.

A empresa analisada abastece com alimentos 171 escolas em 24 bairros cariocas. Depois de adquirir os alimentos, as amostras fo­ram divididas em 20 lotes de dois quilos cada um e encaminhadas para o Laboratório de Resíduos de Pesticidas do governo paulista.

Doze das 20 amostras apresentaram resíduos de pesticidas, inclusive aquelas com arroz e feijão carioquinha. Em duas amostras (10% do total) de couve foi encontrado um químico proibido no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária: o metamidofós. Em outros sete lotes (35% do total), de feijão, pepino e pimentão, técnicos constataram o agrotóxico benfuracarbe, cujo uso é proibido para essas lavouras.

 

Veja também

Bolsonaro diz que Doria é 'autoritário' e que pandemia no Brasil 'está acabando'
Coronavírus

Bolsonaro diz que Doria é 'autoritário' e que pandemia no Brasil 'está acabando'

Matrículas em cursos de graduação a distância aumentaram 378,9%, segundo Censo
Educa Mais Brasil

Matrículas em cursos de graduação a distância aumentaram 378,9%, segundo Censo