Igrejas trocam missas por bênçãos em carreata e helicóptero

Domingo de Ramos é o marco inicial da Semana Santa, em que os católicos revivem o chamado tríduo pascal

Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em GoianaIgreja de Nossa Senhora do Carmo, em Goiana - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

No lugar das tradicionais celebrações, helicópteros e carreatas. É assim que algumas igrejas católicas planejam celebrar neste domingo (5) um dos momentos mais importantes do período pascal, o Domingo de Ramos. Com o isolamento social imposto nos estados devido à pandemia do novo coronavírus, as igrejas estão fechadas e apostam no formato para manter a tradição.

O Domingo de Ramos é o marco inicial da Semana Santa, em que os católicos revivem o chamado tríduo pascal, que envolve a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Em Mogi das Cruzes, às 11h de domingo o vigário geral da diocese, monsenhor Antônio Robson Gonçalves, e o padre Dorival Aparecido de Moraes, reitor do Santuário Diocesano Sagrado Coração de Jesus, sobrevoarão bairros da cidade com o Santíssimo Sacramento e uma imagem de Nossa Senhora Aparecida para abençoar os ramos.

Eles, segundo a diocese, partirão do campo dos bombeiros em Mogi. "Coloque ramos em suas janelas e portas e recebam a bênção que virá do céu", diz comunicado da igreja. Haverá, também, uma bênção especial contra a Covid-19. Nenhuma missa da Semana Santa terá a presença de público. A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) publicou comunicado com cinco orientações às famílias para a celebração do Domingo de Ramos durante a quarentena.

Entre elas estão colocar no portão ou porta de casa, em lugar bem visível, alguns ramos e participar das celebrações transmitidas pela TV ou redes sociais. "Marcar a casa é uma característica do povo de Deus", diz a CNBB. Também há a orientação de motivar por redes sociais ou telefonemas outras pessoas a celebrarem a data da mesma forma e que os fiéis comprometam-se a, no futuro, participar ativamente da coleta da campanha da fraternidade -quando uma nova data for definida.

"Cada um e cada família, em suas casas, são chamados a celebrar o próximo domingo com fé e esperança", diz a entidade. O cenário de missa sem fiéis é o mesmo em Dom Feliciano (RS), onde a prefeitura emitiu novo decreto nesta quinta-feira (2) em razão da emergência de saúde pública, fechando estabelecimentos comerciais que não se encaixem nos serviços considerados essenciais. A cidade não tem casos confirmados da Covid-19.

A paróquia Nossa Senhora de Czestochowa não fará procissão neste ano, mas manteve a bênção dos ramos, que será feita numa espécie de carreata/drive-thru, após acordo com a prefeitura. A medida foi inspirada na vacinação dos idosos contra gripe. O padre Tomasz Januszewski avisou em missa que as pessoas não devem sair dos seus carros e devem evitar aglomerações.

Leia também:
Pernambuco tem mais quatro mortes e confirma 40 novos casos da Covid-19
Apesar de decreto com igrejas como atividade essencial, Arquidiocese mantém suspensão


Às 9h, ele fará uma oração, com transmissão por rádio e, a partir dela, os carros poderão passar em frente à igreja para que os ramos sejam abençoados. Segundo a diocese de Santa Cruz do Sul, 88% da população da cidade é católica, com base nos dados do último Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Outra paróquia a aderir a uma carreata para as bênçãos é a de São José, em Presidente Prudente.

Após a missa on-line de Ramos, às 8h, haverá a bênção e a entrega de ramos nos veículos. "Faremos um drive-thru. Você nem precisará descer do carro. Só pegar o ramo já abençoado e o padre irá abençoar também o seu carro", diz comunicado da paróquia em redes sociais.

Veja também

Fiocruz entrega 2,2 milhões de doses de vacinas ao PNI
IMUNIZANTE

Fiocruz entrega 2,2 milhões de doses de vacinas ao PNI

MP prorroga vigência de medidas excepcionais durante a pandemia
PANDEMIA

MP prorroga vigência de medidas excepcionais durante a pandemia