Interventor em Roraima diz que prioridade será pagar salários

Nomeado interventor por Michel Temer, Antonio Denarium explicou que o governo federal fará um aporte de recursos no estado nos próximos dias

Antonio Denarium foi nomeado interventor em RoraimaAntonio Denarium foi nomeado interventor em Roraima - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O governador eleito de Roraima, Antonio Denarium (PSL), nomeado interventor federal no estado pelo presidente Michel Temer na noite desta sexta-feira (7), afirmou neste sábado (8) que sua prioridade será pagar os salários atrasados de servidores.

Leia também:
Após paralisação estadual, Temer anuncia intervenção integral em Roraima
Roraima: pedido de intervenção federal é 'extremo e injustificável'
Temer diz que fez um governo ousado e que será reconhecido no futuro
Temer diz que pegou país no século 20 e entrega no século 21


"Com certeza, os servidores receberão nos próximos dias. Há um compromisso do governo federal de sanear as contas do governo de Roraima", declarou Denarium, que assumiu o papel de interventor neste sábado (8).

Ele ainda disse que o governo federal fará um aporte de recursos ao estado nos próximos dias, com base em um plano de recuperação fiscal. A ideia é que os valores ajudem a quitar dívidas e salários do funcionalismo. Os detalhes do plano serão acertados na próxima terça-feira (11), quando o novo interventor irá se reunir com Temer em Brasília.

Denarium também fez um apelo para que servidores que estão paralisados ou que pretendem entrar em greve aguardem o pagamento nos próximos dias. "É importante lembrar que não há necessidade [de paralisação]", disse.

O pesselista toma o lugar da atual governadora Suely Campos (PP), que foi comunicada por Temer sobre a decisão na noite de sexta. Ela ainda não se manifestou publicamente.

Entenda o caso
O estado de Roraima enfrenta uma crise de segurança e de gestão, que se agravou com a recente paralisação de servidores da segurança pública, o descontrole nas finanças públicas e a tensão com a chegada em massa de imigrantes venezuelanos.

Nesta semana, batalhões da Polícia Militar foram fechados por mulheres de militares, em protesto pelo pagamento de salários, que estão até três meses atrasados. Agentes penitenciários e policiais civis também paralisaram suas atividades.

Veja também

Vitória contra a Colômbia cria "casca" para a seleção brasileira, diz Tite
Copa América

Vitória contra a Colômbia cria "casca" para a seleção brasileira, diz Tite

Kleber Mendonça Filho integra o júri do Festival de Cannes
Cinema

Kleber Mendonça Filho integra o júri do Festival de Cannes