Justiça do Rio pede prisão de acusado de matar ex-namorada na Austrália

Mário Marcelo Ferreira, principal suspeito de assassinar a empresária Cecília Müller, na Austrália, é considerado foragido pela Interpol e Polícia do Rio

A Operação Horse foi desencadeada pelo MPRJ e polícia civil do Rio de JaneiroA Operação Horse foi desencadeada pelo MPRJ e polícia civil do Rio de Janeiro - Foto: Reprodução / Google Maps

A Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva de Mário Marcelo Ferreira dos Santos Santoro, 40, acusado de matar a empresária Cecília Müller Haddad, 38, por estrangulamento na Austrália.

Na sexta (6), a polícia fez buscas no apartamento onde Santoro mora com os pais, em Copacabana, na zona sul do Rio, e em outros endereços de familiares, mas não o localizou. O corpo de Cecília foi encontrado no rio Lane Cover, em Sydney, no dia 29 de abril. Ex-namorado da empresária, Santoro deixou a Austrália rumo ao Rio no mesmo fim de semana.

Leia também:
Polícia conclui caso e acusa trio por assassinato de Vitória Gabrielly
93,7% das vítimas dos assassinatos em Pernambuco são homens pardos
Assassinato de jovens cresce, e país tem 325 mil vítimas em 11 anos

A princípio, ele era considerado apenas pessoa de interesse pela polícia australiana. No último dia 27, porém, foi emitido um mandado de prisão contra o brasileiro na Austrália.  A Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio iniciou investigações em maio, acionada pela família de Cecília. Em nota, diz que, a partir de análise pericial de documentos, é possível evidenciar que Santoro é o autor do crime.

A Justiça do Rio já aceitou denúncia feita pelo Ministério Público contra o acusado. Santoro é considerado foragido pela Interpol e, agora, também pela polícia do Rio. Em maio, ele disse que estava em contato com a polícia da Austrália e à disposição das autoridades. Parentes dele chegaram a afirmar que ele estaria pronto para embarcar para Sydney para provar sua inocência no caso.

Veja também

Em 2019, 38% da população tinha alguma dificuldade de acesso à água
Saneamento Básico

Em 2019, 38% da população tinha alguma dificuldade de acesso à água

CPI da Pandemia aprova convocação de empresas de tecnologia
Senado

CPI da Pandemia aprova convocação de empresas de tecnologia