Justiça pode rever 100 mil prisões no País

"Eles não precisam estar dentro da penitenciária.”

Deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE)Deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE) - Foto: Antonio Augusto/Câmara dos Deputados

SÃO PAULO (ABr) - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse ontem que o Governo deve propor um mutirão para rever a situação de cerca de 100 mil presos provisórios em todo o País. “Nós precisamos fazer um grande mutirão de audiência de custódia para os presos provisórios sem violência ou grave ameaça. Eles não precisam estar dentro da penitenciária.”

Para o ministro, a medida é urgente e visa reduzir a superlotação do sistema prisional. O número é uma estimativa a partir do total de presos ainda sem julgamento - aproximadamente 220 mil, de acordo com Moraes. O que representa quase 40% da população carcerária brasileira. Além de reduzir o excesso de detentos, a medida permitiria aumentar as penas para aqueles que praticarem delitos com emprego de grande violência, com o uso de explosivos ou fuzis, por exemplo. 

Reduzir a superlotação seria, para o ministro da Justiça, uma das formas de combater as causas das rebeliões em presídios. No último domingo, presos ligados à facção PCC atacaram membros do Comando Vermelho na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Roraima. Foram dez mortos nas contas do Governo, e 25 na contabilidade dos detentos.

 

Veja também

Bolsonaro diz que pediu flexibilização de restrições para entrada nos EUA para estudantes
Diplomacia

Bolsonaro diz que pediu menos restrições para entrada de estudantes nos EUA

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado
meio ambiente

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado