Local da morte de 33 detentos, presídio de Roraima volta a registrar tumulto

Apesar da presença da tropa especial, ao menos três fugas foram relatadas nos últimos dias

Banco de dados vai reunir o número de presos, localização e histórico criminalBanco de dados vai reunir o número de presos, localização e histórico criminal - Foto: Divulgação/Rodrigo Freitas/CCOM-MPMA

Um novo tumulto entre detentos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo voltou a ocorrer na noite deste domingo (22). Segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania, a confusão foi rapidamente contida por agentes penitenciários treinados para lidar com essas situações. Não houve feridos, nem danos estruturais à unidade.

No último dia 6, a penitenciária foi local do assassinato de 33 presos, mortos por outros detentos integrantes de facções criminosas rivais. Desde então, agentes da Força Nacional de Segurança Pública estão no estado, ajudando a Polícia Militar a fazer o policiamento ostensivo. Apesar da presença da tropa especial, ao menos três fugas foram relatadas nos últimos dias.

De acordo com a secretaria estadual, um grupo de internos sacudiu fortemente as grades das celas. Agentes penitenciários do Grupo de Intervenção Tática (GIT) foram acionados e controlaram a situação, sem a necessidade da presença de efetivos do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), que só ingressaram no presídio na manhã de hoje (23), para garantir a segurança dos agentes penitenciários que faziam uma varredura em busca de armas, drogas e outras substâncias e produtos proibidos.

Além da presença da Força Nacional, o governo estadual também pediu ao governo federal o auxílio de equipes das Forças Armadas. A solicitação foi feita um dia após o Palácio do Planalto autorizar, em caráter emergencial, o envio de militares do Exército, Marinha e Aeronáutica para revistar celas em busca de armas, drogas e celulares. Segundo a Sejuc, o governo ainda não teve respostas.

Veja também

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não
CINEMATECA

Mario Frias diz que solicitou perícia para verificar se incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020
SÃO PAULO

MPF alertava sobre risco de incêndio na Cinemateca desde julho de 2020