Mãe recebe ligação do IML enquanto procurava filho em cadeia de Manaus

Segundo a mãe, o filho cumpria pena por furto de um celular

Centro Universitário Estácio do RecifeCentro Universitário Estácio do Recife - Foto: Reprodução / Googlemaps

Wendel Francisco de Souza, 21, foi uma das 56 vítimas do massacre no maior complexo penitenciário de Manaus. Segundo a mãe, Rosana de Souza, 36, o filho cumpria pena por furto de um celular. Ela não sabe dizer se ele participava de alguma facção criminosa.

Leia Mais

Polícia identifica sete presos suspeitos de comandar chacina em presídio 

"Ele tinha cumprido 1 ano no CDP [Centro de Detenção Provisória] e já estava há 4 meses no Compaj [complexo penitenciário]. Ia sair agora este mês. Até onde eu sei ele não participava de facção."A dona de casa tinha ido a um outro presídio tentar saber alguma notícia do filho, mas recebeu uma ligação do IML de Manaus pedindo para comparecer no local. "Eu estava lá na [cadeia Raimundo] Vidal tentando saber alguma informação, mas aí me ligaram do IML".

Inconformada ao deixar o IML nesta quarta (4), ela disse que nem conseguiu ver o corpo do filho. "O IML pegou agora a minha digital. Não mostraram meu filho, disseram que tem muitos corpos decapitados."

Rosana disse que o filho vendia bombons nos terminais de Manaus e tem um filho de três anos. "Ele se envolveu com amizades erradas e foi daí que houve o único furto dele. Meu filho estava no lugar errado, na hora errada. Ele já ia sair de lá."

Veja também

Intenção de consumo das famílias volta a cair em abril
CNC

Intenção de consumo das famílias volta a cair em abril

Em 30 anos, entidade viu demanda por diversidade racial no trabalho ir de zero a dez
Equidade

Em 30 anos, entidade viu demanda por diversidade racial no trabalho ir de zero a dez