Mais de dez pessoas são mortas em festa em Fortaleza

Chacina ocorreu na madrugada deste sábado no Forró do Gago

Rua Madre Teresa de Calcutá, em Fortaleza, local da chacinaRua Madre Teresa de Calcutá, em Fortaleza, local da chacina - Foto: Google Street View

Um ataque a tiros deixou pelo menos 14 mortos e outras pessoas feridas na madrugada deste sábado (27) no bairro Cajazeiras, na periferia de Fortaleza, no Ceará. As vítimas participavam de uma festa conhecida como "Forró do Gago", realizada em local próximo à Arena Castelão, e foram atingidas por tiros disparados por um grupo armado que chegou ao local.

O ataque teria relação com uma guerra entre facções criminosas no Estado, que disputam espaços de tráfico de droga, segundo policiais. Os atiradores seriam do Guardiões do Estado, que está em disputa com integrantes do Comando Vermelho.
Ao longo do seu mandato, o governador Camilo Santana (PT) tem atribuído os altos índices de violência na região aos conflitos entre facções.

Dos 14 mortos, 8 eram homens e 6, mulheres. Os criminosos armados teriam chegado em três carros e entrado atirando no clube onde era realizada a festa.  Seis feridos a tiros – sendo um homem, quatro adolescentes (um garoto de 12 anos, outro de 16, e duas meninas de 16) e uma mulher – foram encaminhados para o Instituo Doutor José Frota, maior centro médico de urgência da Prefeitura de Fortaleza.

Os feridos se encontravam em estado estável, sem risco iminente de morte, e continuavam em atendimento. Outros dez feridos com menor gravidade passaram pelo hospital Edmilson Barros de Oliveira, mais conhecido como Frotinha de Messejana.  Oito tiveram alta de manhã.

Leia também:
Vítimas de chacina em Jaboatão podem ter sido mortas por engano ou vingança, diz Polícia
Chacina deixa quatro mortos na zona norte de Porto Alegre


Violência
O Ceará é um dos Estados que apresentam piores índices de violência no Brasil.
No relatório Atlas da Violência 2017, divulgado em junho do ano passado, o Ceará aparece com a terceira pior taxa de homicídios, com 46,75 por 100 mil habitantes. Apenas Sergipe (58,09) e Alagoas (52,33) contam com índices piores. O melhor índice é o de São Paulo, com 12,22.

Entre as capitais, Fortaleza conta com a segunda maior taxa de homicídios, com 66,72, perdendo somente para São Luis (MA), com 70,58. Elaborado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), órgão ligado ao governo federal, em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ONG especializada no assunto, o estudo analisou dados do SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade), do Ministério da Saúde, que traz informações até o ano de 2015.

Em 2015, houve, no Brasil, 59.080 homicídios, o que equivale a uma taxa de 28,9 por 100 mil habitantes. Divulgado em outubro de 2017, o IHA (Índice de Homicídios na Adolescência), elaborado pelo Unicef, Observatório de Favelas e uma secretaria do governo federal, aponta o Ceará como o Estado onde mais adolescentes são assassinados (8,71 a cada 100 mil), ao passo que Fortaleza lidera o ranking entre as capitais, com 10,74.


Veja também

Repasses para pôr internet em escolas travam
Educação

Repasses para pôr internet em escolas travam

Bolsonaro evita ataques, mas STF mantém ritmo de derrotas ao governo
Política

Bolsonaro evita ataques, mas STF mantém ritmo de derrotas ao governo