PRISÃO DIFERENCIADA

Mais rigor aos integrantes do PCC

Os transferidos, segundo o MP, são Marco Willians Herbas Camacho (conhecido como Marcola)

No Rio Grande do Norte, facções promoveram o caos nas ruas, ao mandar incendiar ônibus. Policiais ficaram acuadosNo Rio Grande do Norte, facções promoveram o caos nas ruas, ao mandar incendiar ônibus. Policiais ficaram acuados - Foto: Andressa Anholete/AFP

 

O Ministério Público de São Paulo conseguiu na Justiça a transferência de integrantes do crime organizado, ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital), para o RDD (regime disciplinar diferenciado) pelo período de 360 dias. No RDD, o preso fica recolhido em cela individual e tem o banho de sol limitado em duas horas diárias, além de só poder receber visita de duas pessoas por semana, pelo período máximo de duas horas.
Os transferidos, segundo o MP, são Marco Willians Herbas Camacho (conhecido como Marcola), Valdeci Francisco Costa, Antonio José Muller Júnior, Paulo César Souza Nascimento Júnior, Daniel Vinicius Canônico, Paulo Pedro da Silva, Eric Oliveira Farias, Paulo Felipe Esteban Gonzalez, Márcio Domingos Ramos, Airton Ferreira da Silva e Cleber Marcelino Dias dos Santos.ambém foi solicitada a prorrogação da internação no RDD de Wilber de Jesus Merces, Marcos Paulo Ferreira Lustosa e Wanderson Nilton Paula Lima pelo prazo de 20 dias.
A Secretaria da Administração Penitenciária não confirmou se os integrantes do PCC foram transferidos e disse, em nota, que não informa sobre transferência de presos por questão de segurança.
Marcola cumpre pena de mais de 240 anos de prisão por crimes como roubo a banco, tráfico de drogas e envolvimento com o crime organizado -de acordo com a lei, deve cumprir no máximo 30 anos. Desde 2002, ele já foi transferido para o RDD algumas vezes.

 

Veja também

Teve o salário reduzido ou suspenso em 2020? Saiba como declarar no Imposto de Renda
Imposto de Renda

Teve o salário reduzido ou suspenso em 2020? Saiba como declarar no Imposto de Renda

Brasil pede flexibilização de exigências internacionais de saúde para caminhoneiros
Pandemia

Brasil pede flexibilização de exigências internacionais de saúde para caminhoneiros