Medicina: 91% defendem veto para aluno fraco

Os dados são de pesquisa feita pelo Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM).

A TernuraA Ternura - Foto: Divulgação

 

Cerca de 84% da população aprova a nova avaliação que será aplicada a estudantes de medicina do País, mas 91% defende medidas restritivas em caso de baixo desempenho, como veto ao diploma ao aluno do último ano que tiver resultado insatisfatório no exame federal.

Os dados são de pesquisa feita pelo Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM). O levantamento ouviu 2.089 pessoas acima de 16 anos de todas as regiões do país. O resultado aponta que 84% dos entrevistados são a favor de que os cursos de medicina sejam avaliados no 2°, 4° e 6° ano, padrão semelhante ao exame que deve ser aplicado a partir deste ano, enquanto os demais 16% defendem avaliação única ao fim do curso.

Questionados sobre o que deve ocorrer em caso de baixo desempenho dos alunos do 6° ano na avaliação federal, 91% opinaram que o estudante não deve receber diploma. Neste caso, 49% sugerem que o aluno receba reforço e refaça a prova. A divulgação da pesquisa ocorre em meio ao debate sobre qual deve ser o impacto dos resultados do novo exame para alunos e faculdades de medicina.

Inicialmente, o veto ao diploma ao aluno com baixo desempenho era cogitado na proposta de avaliação estudada pelo Governo anterior, que previa que o aluno com nota baixa fizesse uma nova prova para melhorar as notas. Agora, a prova, apesar de obrigatória, não trará impedimentos aos alunos, de acordo com dados do Ministério da Educação. Os resultados também ficarão restritos ao aluno e a coordenadores de curso, e não haverá divulgação dos dados.

 

Veja também

Guedes diz que acordos políticos dificulta privatizações
economia

Guedes diz que acordos políticos dificulta privatizações

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19
boletim

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19