Mil homens das Forças Armadas vão atuar nos presídios

De acordo com o ministro Raul Jungmann cerca de 30 equipes foram disponibilizadas. Número pode aumentar de acordo com a demanda

Forças ArmadasForças Armadas - Foto: Agência Brasil

A previsão inicial é de que mil militares das Forças Armadas e cerca de 30 equipes atuem nos presídios de todo o país. A informação foi repassada pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, em coletiva realizada nesta quarta-feira (18). A quantidade de homens, entretanto, poderá aumentar dependendo da demanda dos estados. "Vamos realizar uma análise quantitativa porque vamos atuar por demanda. O ministro ressaltou que caberá ao governador de cada estado solicitar o apoio do efetivo para atuação nos estabelecimentos prisionais.

Leia mais
Publicado decreto que regulamenta atuação das Forças Armadas em presídios


Segundo o Decreto Presidencial nº 17, o efetivo vai atuar auxiliando as forças policiais locais a inspecionar as celas e demais dependências carcerárias em busca de armas, telefones celulares, drogas e outros materiais ilícitos. Jungmann ressaltou que os militares não terão contato direto com os detentos. "As Forças Armadas não vão substituir policiais e agentes penitenciários estaduais. A população carcerária será retirada pela polícia local ou força nacional. Então será feita a varredura e limpeza nessas unidades prisionais. É uma operação localizada, que vai durar horas ou um dia e que logo o espaço volta ao controle dos agentes locais", disse.

A medida é uma resposta do governo à crise enfrentada pelos estados no sistema penitenciário. Desde o começo do ano, pelo menos cinco estados já registraram mortes, rebeliões, fugas e brigas entre membros de facções rivais no interior de estabelecimentos prisionais: Amazonas, Roraima, Paraná; Rio Grande do Norte e Minas Gerais. Em outras unidades da Federação, houve fugas e tentativas de fuga e as forças de segurança estão em alerta.

Veja também

Ministério da Saúde autoriza uso da Pfizer para 2ª dose de grávidas que tomaram AstraZeneca
VACINAÇÃO

Ministério da Saúde autoriza uso da Pfizer para 2ª dose de grávidas que tomaram AstraZeneca

Covid-19: Brasil tem 19.632.443 casos e 548.340 mortes
Pandemia

Covid-19: Brasil tem 19.632.443 casos e 548.340 mortes