Brasil

Ministro da Justiça escolhe coronel da PM para a Secretaria Nacional de Segurança Pública

O policial é próximo de aliados de Bolsonaro, como o chefe da Secretaria Geral, Jorge Oliveira

André Mendonça, ministro da Justiça e Segurança PúblicaAndré Mendonça, ministro da Justiça e Segurança Pública - Foto: José Cruz/Ag. Brasil

O novo ministro da Justiça, André Mendonça, decidiu substituir o general Guilherme Theophilo, secretário nacional de Segurança Pública, e escolheu nomear para o cargo o coronel da Polícia Militar Carlos Alberto de Araújo Gomes.

Theophilo era o único secretário remanescente da gestão de Sergio Moro, que deixou o cargo no último dia 24. Mendonça, ex-advogado-geral da União assumiu o ministério na semana passada.

Gomes, que entrará no lugar do general, é comandante da PM de Santa Catarina e preside o CNCG (Conselho Nacional dos Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares).

Leia também:
Antes de encontrar Bolsonaro, Regina Duarte publica áudio sobre homem 'traído'
Diretor-geral da PF escolhe novo superintendente do Rio, fora da lista de Bolsonaro


O policial é próximo de aliados de Bolsonaro, como o chefe da Secretaria Geral, Jorge Oliveira. A troca na Secretaria Nacional de Segurança Pública foi definida em reunião na tarde desta terça (5). Gomes marcou a troca de comando na PM de Santa Catarina para o dia 8 de maio.

Desde o ano passado, Gomes tem articulado junto ao governo uma proposta de Lei Orgânica da PM que, para a classe, garantiria mais autonomia diante de governadores.

Especialistas em segurança pública elogiam a escolha por julgarem que o policial tem conhecimento sobre o setor e tem mais traquejo político, o que poderá facilitar a interlocução com outras políticas.

"Na atual geração de policiais da ativa, Araujo Gomes é um dos mais preparados. Só espero que sua gestão seja menos isolacionista do que o Moro, que tinha excluído as PM", diz o presidente do Fórum Nacional de Segurança Pública, Renato Sergio de Lima.

"Se for agregador, ouvir todas as polícias ele terá boas chances de fazer uma gestão que enfim faça a Senasp funcionar plenamente", continua Lima. O futuro secretário deverá encontrar resistência entre policiais civis, segundo pessoas ligadas a ele, que não gostam da ideia de serem comandados por um policial militar.

Veja também

Polícia investiga se belga foi dopado antes de ser morto por cônsul
Rio de Janeiro

Polícia investiga se belga foi dopado antes de ser morto

Operação Guardiões do Bioma apreende 23,9 toneladas de minério
Investigação

Operação Guardiões do Bioma apreende 23,9 toneladas de minério