A-A+

Morre o ex-presidente da Câmara Ibsen Pinheiro

O velório está sendo realizado na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, até as 16h de hoje

Ex-deputado presidiu a Casa durante o processo de impeachment de CollorEx-deputado presidiu a Casa durante o processo de impeachment de Collor - Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil

Leia também

• O novo perfil dos idosos no Brasil

• Coronavírus: aeroportos transmitem mensagem da Anvisa a partir desta sexta-feira

• Com racha, Tadeu prevê solução para liderança do PSB depois do dia 3

Morreu na noite desta sexta-feira (24), aos 84 anos, o ex-deputado Ibsen Pinheiro (MDB-RS). Ibsen foi presidente da Câmara dos Deputados entre 1991 e 1993, quando conduziu o início do processo de impeachment do então presidente Fernando Collor, em 1992.

O ex-deputado fazia tratamento de saúde no Hospital Dom Vicente Scherer, na Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre, quando teve uma parada cardiorrespiratória. O velório está sendo realizado na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, até as 16h de hoje.

Nascido em São Borja em 5 de julho de 1935, Ibsen foi deputado federal por quatro mandatos, de 1983 a 2011, sempre pelo PMDB. Como deputado constituinte (1987), ajudou a elaborar a atual Constituição, promulgada em outubro de 1988.

Também foi presidente do PMDB do Rio Grande do Sul, deputado estadual e vereador. Antes de entrar para a política, trabalhou como jornalista, procurador de Justiça e promotor. Foi ainda advogado e dirigente do Sport Club Internacional.

Em maio de 1994, diante do escândalo do Orçamento, Ibsen Pinheiro o mandato de deputado federal cassado. A ação criminal, entretanto, foi arquivada por falta de provas em 1995. Ele se elegeu novamente deputado federal em 2006.

O atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, lamentou a morte de Ibsen Pinheiro. Em mensagem no Twitter, Maia afirmou que Ibsen presidiu a Câmara "com muita seriedade, num dos momentos mais importantes da democracia brasileira". Em outra postagem, Maia disse que Ibsen foi um um exemplo para ele. "Tive a oportunidade de conviver e aprender muito com ele. Perdemos um homem público diferenciado."

Também no Twitter, o ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, destacou a importância política de Ibsen Pinheiro na história do Brasil, lembrando sua coragem pessoal e a grande capacidade de compreensão e análise do cenário político brasileiro. O ministro disse tambem que Ibsen foi "um bom amigo" que fez ao longo da vida.

Veja também

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil
Vacinas

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil

'Tudo é homofobia, tudo é feminismo', ironiza Bolsonaro sobre punição a Maurício Souza
Maurício Souza

'Tudo é homofobia, tudo é feminismo', ironiza Bolsonaro sobre punição a jogador