Morte de capitão fecha Linha Amarela por 2 horas no Rio

A Linha Amarela foi interditada após a morte do capitão PM Stefan Contreiras, de 36 anos, atingido por tiros

Militares em operação no Rio de Janeiro Militares em operação no Rio de Janeiro  - Foto: Mauro Pimentel / AFP

A Linha Amarela, via expressa que liga a Barra da Tijuca à Linha do Fundão, na Ilha do Governador, ficou interditada nos dois sentidos, depois de ficar fechada por mais de duas horas durante a manhã desta quinta-feira (03) devido a uma operação do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar contra o tráfico de drogas. A PM informou que um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi atingido na troca de tiros com traficantes. A via já está liberada para o tráfego de veículos.

A ação foi desencadeada após a morte do capitão PM Stefan Contreiras, de 36 anos, atingido por tiros após uma abordagem quando se dirigia para o quartel. O oficial era do serviço reservado do batalhão de Jacarepaguá.

Na operação na Cidade de Deus participam homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Choque, do Batalhão de Ações com Cães, além das equipes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus. Um helicóptero da Polícia Militar também dá apoio à ação. Houve intenso tiroteio na chegada da PM e um policial do Bope foi ferido e encaminhado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

Leia também
Suspeito de roubar um Tucson morre em tiroteio na Zona Oeste
Assalto com troca de tiros causa pânico na Zona Norte do Recife


Informações do Setor de Inteligência e denúncias anônimas indicavam que criminosos envolvidos na morte do capitão Stefan Contreiras fugiram para a comunidade após o crime. Até o momento, foram apreendidos dois fuzis e quatro pistolas, quatro pessoas foram presas e quatro feridos foram socorridos no Hospital Municipal Lourenço Jorge.

Veja também

Covid-19: PF investiga desvio de medicamentos para intubação no Amapá
Operação

Covid-19: PF investiga desvio de medicamentos para intubação no Amapá

Pesquisa recomenda ampliar acesso de jovens indígenas à saúde mental
Indígenas

Pesquisa recomenda ampliar acesso de jovens indígenas à saúde mental