A-A+

EDUCA MAIS BRASIL

Necessidade da aprendizagem colaborativa na formação escolar é debatida entre educadores

Assunto é tema do episódio de hoje (27) do podcast Sala dos Professores

A aprendizagem colaborativa tem como referencial teórico a participação ativa dos alunos A aprendizagem colaborativa tem como referencial teórico a participação ativa dos alunos  - Foto: Agência Educa Mais Brasil

Em meio a tantas evoluções na construção da educação e da forma como ela é repassada para os estudantes, a aprendizagem colaborativa se mostra uma forma de garantir que todos aprendam, ensinem e sejam protagonistas das suas próprias histórias. 


A aprendizagem colaborativa tem como referencial teórico a participação ativa dos alunos no processo de construção do conhecimento através da troca de experiências, do cooperativismo e no engajamento dos estudantes. O papel do professor nesse contexto é levar para os alunos situações e problemas que possam ser resolvidos por toda comunidade, sem distinção ou hierarquia, todos aprendendo e ensinando como iguais. Apesar de ser o condutor do processo ele proporciona aos estudantes um leque de possibilidades de resolução dos problemas apresentados, fugindo de respostas prontas e incentivando a participação ativa em todo desenvolvimento do conhecimento. 


Para a pedagoga e mestre em Educação e Contemporaneidade Ana Sueli Pinho, o trabalho colaborativo pressupõe da necessidade da tomada de decisões de forma colaborativa, onde todos devem participar ativamente dos processos até chegar à resolução. “É preciso ouvir e considerar o que o outro tem a dizer e, assim, colocar em prática tudo aquilo que foi decidido juntos. Isso faz parte do processo de aprendizagem colaborativa. Nessas atividades não há uma hierarquia, não há quem delegue, todos vão aprender coisas diferentes, vão assumir responsabilidades iguais e serão recompensados pelo resultado”, opina a profissional. 


No contexto da pandemia, mesmo com o isolamento social e boa parte das escolas ainda fechadas, a colaboração dos estudantes ainda pode ser exercida na vida dos colegas. As salas de aula são apenas a referência de onde aprender, porém, o processo de aquisição de conhecimento ultrapassa as paredes das salas. Além disso, é preciso mostrar que é possível aprender fora das salas de aula e ensinar para os estudantes que eles podem e devem praticar e adquirir mais conhecimento, seja qual for o ambiente que ele esteja inserido.


“É preciso que professores e estudantes entendam que na sala de aula existem múltiplo saberes e eles podem agregar valor ao trabalho que será desenvolvido. Os professores devem estimular esses alunos pois eles podem ser aliados na construção da aprendizagem colaborativa. Aqueles estudantes que já possuem conhecimento em determinado conteúdo podem ajudar os colegas com uma linguagem simplificada, fazendo assim com que o assunto que o professor esteja abordando possa alcançar a todos os envolvidos. Além disso, tem o fato de que quem ensina aprende mais uma vez, então incentivar isso é um ótimo caminho”, pontua a pedagoga. 


Esse e outros pontos ligados ao tema serão abordados no episódio de hoje do podcast Sala dos Professores. A convidada é a Pedagoga, Doutora e Mestre em Educação e Contemporaneidade Ana Sueli Pinho, que vai debater sobre a “Aprendizagem Colaborativa”. O bate-papo será transmitido ao vivo no YouTube, nessa segunda-feira (27), às 16h. O conteúdo será disponibilizado também no Spotify. Além disso, todos os episódios passados podem ser revistos no canal do Sala dos Professores no Youtube. 


Organizado e apresentado pela professora de redação Carol Silveira, em parceria com o Educa Mais Brasil, o podcast foi criado para ser uma representação virtual da Sala dos Professores, local de diálogo entre os docentes e troca de experiência. De forma leve e descontraída, professores de todo o país interagem com os participantes que se apresentam na Sala dos Professores. 


“Quanto mais a gente conhece outras realidades de professores no Brasil, mais a gente conhece sobre educação porque é o professor que faz essa educação acontecer, argumenta a professora Carol Silveira. 
O podcast, que é realizado semanalmente às segundas-feiras, às 16h, já contou com a participação de diversos nomes como Luísa Menezes, que abordou a pressão estética que as professoras sofrem em sala de aula; o professor e especialista em formação de professores no âmbito tecnológico Daniel Pinheiro que falou sobre desafios nesse período de pandemia, de aula on-line; o professor de História e comediante Matheus Buente, que abordou a o ensino da história e a rede pública de ensino, entre outros convidados.
 

Veja também

STJ anula denúncia sobre tragédia de Brumadinho e federaliza o caso
Brumadinho

STJ anula denúncia sobre tragédia de Brumadinho e federaliza o caso

Juízas afegãs ameaçadas pelo Talibã chegam ao Brasil após operação de resgate
BRASIL-AFEGANISTÃO

Juízas afegãs ameaçadas pelo Talibã chegam ao Brasil após operação de resgate