OMS envia ao Brasil 3,5 milhões de doses de vacina contra febre amarela

Outros 1,1 mil casos em humanos estão sendo investigados

Cerca de 3,5 milhões de doses de vacina contra a febre amarela foram enviadas ao Brasil pelo Grupo de Coordenação Internacional para Fornecimento de VacinasCerca de 3,5 milhões de doses de vacina contra a febre amarela foram enviadas ao Brasil pelo Grupo de Coordenação Internacional para Fornecimento de Vacinas - Foto: OMS/ONU

Cerca de 3,5 milhões de doses de vacina contra a febre amarela foram enviadas ao Brasil pelo Grupo de Coordenação Internacional para Fornecimento de Vacinas . Este grupo inclui quatro agências internacionais: a Organização Mundial da Saúde (OMS); o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef); a Cruz Vermelha e a ONG Médicos sem Fronteiras. As informações são da ONU News.

Segundo a OMS, o governo brasileiro deve reembolsar os custos das doses enviadas, que já chegaram ao Rio de Janeiro e devem ser utilizadas também em São Paulo e na Bahia. A agência da ONU trabalha com as autoridades nacionais para garantir a proteção da população e prevenir que a febre amarela se espalhe. O Ministério da Saúde brasileiro reportou à OMS 492 casos confirmados e 162 mortes no país.

Primatas

Outros 1,1 mil casos em humanos estão sendo investigados. Até o momento, mais de 1,3 mil primatas teriam morrido de febre amarela, mas a confirmação em laboratório foi registrada em apenas 387 macacos e os outros seguem em análise.

A doença é transmitida pela picada do mosquito infectado e o país está promovendo campanhas de vacinação nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.
A OMS destaca que quase 19 milhões de doses de vacina foram distribuídas desde que o surto começou, em janeiro. A agência da ONU mobilizou 15 especialistas para dar apoio às autoridades federais brasileiras em relação ao controle do surto.

Veja também

Incidência de pedras nos rins aumenta 30% no verão, alertam médicos
Verão

Incidência de pedras nos rins aumenta 30% no verão, alertam médicos

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
Economia

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC