Onda de ataques a ônibus atinge 17 cidades de Minas

Uma das hipóteses da investigação da PM para esses ataques a ônibus em Minas Gerais seria a ação de facções criminosas.

Uma onda de 25 ataques a ônibus atingiu ao menos 17 municípios de Minas Gerais desde domingo (3), segundo a Polícia Militar. Em menos de 24 horas, também houve ações contra uma delegacia, duas agências bancárias e um caixa eletrônico. Em nenhum dos casos, houve mortos ou feridos. O ataque mais recente ocorreu na tarde desta segunda (4), em Uberaba, onde ônibus foram retirados de circulação.

Leia também:
Manaus tem 61 ônibus depredados em sete dias de greve
Com polícia em greve, RN decreta calamidade na segurança pública

A PM informou que prendeu 30 suspeitos, sendo oito em flagrante, e apreendeu uma arma de fogo. Uma das hipóteses da investigação é ação de facções criminosas. "Parece-nos que, em parte, houve orquestração de facção criminosa, mas não podemos determinar isso. É a investigação quem vai dizer. Circularam vários áudios na internet determinando uma possibilidade de ligações com facções criminosas", disse o porta-voz da Polícia Militar, major Flávio Santiago.

Segundo o major, os ataques não foram especificamente direcionados a Minas Gerais e podem ter ligação com ações no Rio Grande do Norte e em São Paulo. A PM informou ainda que há um trabalho de inteligência coordenado para guiar a investigação e que haverá escolta de ônibus.

Em nota conjunta, as polícias civil e militar, os bombeiros e as secretarias de segurança e administração prisional informaram que atuam de forma integrada para esclarecer as motivações dos ataques e punir os responsáveis. Também foram acionados a Polícia Federal e o Gabinete Militar do Governador.

Em Minas Gerais, a população carcerária é de 71.433 presos. O número de vagas, porém, nas 200 unidades prisionais do estado, é de 35.886. No primeiro trimestre deste ano, houve uma queda de 23% no número de vítimas de homicídio. Foram registrados 1.091 assassinatos de janeiro a março de 2017, contra 840 no mesmo período deste ano.

Na região metropolitana de Belo Horizonte, foram três ônibus incendiados entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira (4). Nos três casos, os próprios motoristas e cobradores ou o dono do veículo apagaram as chamas, e a polícia não localizou os criminosos. O primeiro ataque na capital mineira foi registrado às 22h39 do domingo. Segundo a PM, dois menores entraram em um ônibus que fazia seu itinerário na região de Venda Nova e mandaram que todos descessem antes de atear fogo ao veículo, que sofreu poucas avarias, pois o incêndio foi controlado pelo motorista.

De madrugada, às 4h53, houve novo ataque na região noroeste. O ônibus ainda iria começar sua primeira viagem, quando duas pessoas chegaram de moto, rendendo o motorista e fazendo disparos para o alto. O veículo foi incendiado e o próprio motorista controlou o fogo com extintor. O teto e a cadeira do cobrador ficaram danificados.

Em Santa Luzia (MG), na região metropolitana, o ataque foi à 0h55 contra um ônibus privado que atua com fretamentos. O veículo estava estacionado na rua em frente à casa do dono, que atuou para apagar o incêndio. O banco do motorista e parte do painel ficaram destruídos.

Os ataques também atingiram cidades do Triângulo Mineiro, sul e centro-oeste do estado. Em Uberaba, homens encapuzados ordenaram que os passageiros descessem antes de colocar fogo em três ônibus. Segundo o Corpo de Bombeiros, esse tipo de incêndio criminoso tem grande velocidade de propagação e pode atingir edificações próximas ou a fiação elétrica.

Veja também

'Eu não sabia o tamanho que meu filho representava', diz mãe de Paulo Gustavo
SAUDADE

'Eu não sabia o tamanho que meu filho representava', diz mãe de Paulo Gustavo

STF vai definir se empresa pode demitir em massa sem negociação coletiva
Trabalho

STF vai definir se empresa pode demitir em massa sem negociação coletiva