A-A+

Para Maia, decisão de Fux sobre juiz de garantias desrespeita parlamento

Maia disse que os Poderes haviam estabelecido relação harmoniosa

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (22) que a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, de suspender a implementação do juiz das garantias é desnecessária e desrespeitosa.

"Eu acho que a decisão do ministro Fux é desnecessária e desrespeitosa com o Parlamento brasileiro e com o governo brasileiro, com os outros Poderes", afirmou à reportagem.

Leia também:
Fux suspende juiz das garantias por tempo indeterminado
Toffoli prorroga juiz das garantias por seis meses


Maia disse que depois de um primeiro semestre turbulento, com embates entre Executivo, Legislativo e Judiciário, os Poderes haviam estabelecido relação harmoniosa. Segundo ele, essa decisão gera "perplexidade, indignação" do Congresso e é um mau sinal para investidores.

"Não podemos entrar em fevereiro com uma boa expectativa de crescimento, com o STF dando uma sinalização muito ruim para o Brasil e para os investidores estrangeiros no nosso país", disse.

"Como alguém pode investir no Brasil chegando aqui e abrindo o jornal e vendo o ministro do Meio Ambiente quase defendendo as queimadas? Do outro lado o ex-procurador-geral da República dizendo que quase matou um ministro do STF, e agora o vice-presidente do STF tomando uma decisão inócua, sem nenhum tipo de diferença em relação à anterior porque o outro dava um prazo para a execução da matéria e certamente seria julgada antes da implementação do juiz de garantias, e ele desfaz a decisão do próprio presidente do Supremo?", disse.

"Quem confiaria em um país que passa por esses obstáculos de forma cotidiana?", afirmou.

Maia afirmou ainda que o presidente do STF, Dias Toffoli, cuja decisão foi revogada por Fux, foi "o principal atacado hoje [quarta-feira]" e que ele foi o "principal condutor" das conversas que levaram a uma pacificação das relações entre os chefes dos Poderes em 2019, quando Maia e o presidente Jair Bolsonaro travaram diversos embates.

"Eu confio no STF, confio nos seus ministros e confio principalmente na presidência do presidente Dias Toffoli, que na sua volta eu tenho certeza de que vai restabelecer a normalidade na relação de equilíbrio entre os Poderes", afirmou Maia.

Veja também

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil
Vacinas

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil

'Tudo é homofobia, tudo é feminismo', ironiza Bolsonaro sobre punição a Maurício Souza
Bolsonaro

'Tudo é homofobia, tudo é feminismo', ironiza Bolsonaro sobre punição a Maurício Souza