PF deflagra mais uma fase da Operação Acrônimo

Operação da PF se refere a uma licitação do Detran de Tocantins

 Renato Antunes (PSC) garantiu que o partido caminha para fazer parte do processo majoritário em 2020, devido ao trabalho realizado e pelo desejo de mudança da população. Renato Antunes (PSC) garantiu que o partido caminha para fazer parte do processo majoritário em 2020, devido ao trabalho realizado e pelo desejo de mudança da população. - Foto: Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (30) a 12ª fase da Operação Acrônimo. Ela acontece no Tocantins e no Distrito Federal, com mandados expedidos pela Justiça de Tocantins.

Há cinco mandados de condução coercitiva, mas nenhum de prisão expedido. A operação da PF se refere a uma licitação do Detran do Estado.

Operação Acrônimo

A Acrônimo teve a primeira fase deflagrada em 2015, investigando um esquema de lavagem de dinheiro em campanhas eleitorais envolvendo gráficas e agências de comunicação.

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), foi alvo de algumas delas, suspeito de ter usado os serviços de uma gráfica durante a campanha eleitoral de 2014 sem a devida declaração dos valores e de ter recebido "vantagens indevidas" do proprietário dessa gráfica, o empresário Benedito Oliveira.
O petista nega envolvimento em irregularidades.

Veja também

Pastor e fiel morrem por afogamento após batismo em represa da Grande SP
Tragédia

Pastor e fiel morrem por afogamento após batismo em represa da Grande SP

Embaixadora das Filipinas no Brasil é chamada de volta ao país após maltratar funcionária
Mundo

Embaixadora das Filipinas no Brasil é chamada de volta ao país após maltratar funcionária