PF faz operação para investigar compras de máscaras no Tocantins

O valor total do contrato estaria em R$ 420 mil

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (3) a Operação Personale, na qual apura “suposto superfaturamento” em dois contratos de compras de máscara de proteção facial firmados pela Secretaria de Saúde do Tocantins com empresas.

Cerca de 20 policiais cumprem, neste momento, quatro mandados de busca e apreensão e três de intimação, a pedido da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins. Por meio de nota, a PF informou ter encontrado “indícios de possível superfaturamento” em dois contratos que previam a aquisição de 12 mil máscaras de proteção facial, pelo valor unitário de R$ 35. O total do contrato estaria em R$ 420 mil. A nota da PF, no entanto, não informa quais seriam as empresas favorecidas.

Leia também:
Polícia Federal apreende de 1,4 tonelada de drogas no país em maio
Celso de Mello rejeita pedido de apreensão de celular de Bolsonaro

“As investigações apontaram, ainda, que, já durante a pandemia, existia processo licitatório vigente na Secretaria Estadual de Saúde que resultou na contratação de empresas para o fornecimento de máscaras de proteção facial idênticas, por valores que variam entre R$ 1,93 e R$ 3,64”, informa a nota da PF.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por crimes como os de formação de cartel e peculato; e crime contra a economia popular. As penas podem ultrapassar 19 anos de reclusão e multa.

Veja também

Caminhoneiros iniciam atos no País, mas adesão à greve é incerta
Brasil

Caminhoneiros iniciam atos no País, mas adesão à greve é incerta

Manual ajuda empresas a atuarem contra fake news
Brasil

Manual ajuda empresas a atuarem contra fake news