PGR pede que STF apure se atos violaram Lei da Segurança Nacional

Segundo o texto, o PGR deseja apurar se houve o cometimento de crime por parte de cidadãos ou deputados federais que organizaram as manifestações

Augusto Aras Augusto Aras  - Foto: Roberto Jayme/TSE

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito para apurar a possível violação da Lei de Segurança Nacional em atos que pediram, no domingo (19), a intervenção militar e o fechamento do Congresso e do próprio Supremo.

"O Estado brasileiro admite única ideologia que é a do regime da democracia participativa. Qualquer atentado à democracia afronta a Constituição e a Lei de Segurança Nacional”, afirmou Aras no pedido, conforme nota divulgada no início da tarde pela PGR.

Leia também:
Não temos tempo a perder com retóricas golpistas, diz Rodrigo Maia sobre Bolsonaro
Democracia e liberdade acima de tudo, diz Bolsonaro após participar de ato pró-golpe


Segundo o texto, o PGR deseja apurar se houve o cometimento de crime por parte de cidadãos ou deputados federais que organizaram as manifestações contra o regime da democracia participativa brasileira. A competência do Supremo se dá devido ao possível envolvimento de parlamentares, justificou Aras.

Atos
No domingo, várias manifestações foram registradas no país. Entre as pautas estavam o pedido de reabertura do comércio e o fim de medidas de isolamento por conta da pandemia do novo coranavírus. No ato em Brasíla foram vistas também mensagens que pediam o fechamento do Congresso, do STF e a volta do Ato Instituicional n° 5, usado no governo militar para punir opositores ao regime e cassar parlamentares. As mensagens causaram repercussão entre a classe política, Judiário e entidades da sociedade civil.

Veja também

Presidente do Senado articula ajuda para fornecimento de oxigênio em hospitais de Manaus
Coronavírus

Presidente do Senado articula ajuda para fornecimento de oxigênio em hospitais de Manaus

Maia cobra retomada dos trabalhos no Congresso para discutir situação do Amazonas e das vacinas
Coronavírus

Maia cobra retomada dos trabalhos no Congresso para discutir situação do Amazonas e das vacinas