PMs deixam posto em protesto de servidores e são aplaudidos no Rio de Janeiro

Dois policiais, que estavam na linha de frente segurando escudos, abandonaram o posto e voltaram no sentido contrário ao do protesto

Senador Humberto Costa (PT)Senador Humberto Costa (PT) - Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Um vídeo feito durante protesto de servidores contra o pacote de austeridade do governo, na tarde desta quarta-feira (16), na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), mostra dois policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar deixando a tropa que reprimia os manifestantes.

O vídeo foi gravado por Julio Trindade, funcionário do Tribunal de Justiça, que fica em um prédio vizinho à Alerj. A Assembleia começou a debater nesta quarta o pacote apresentado pelo governador Luiz Fernando Pezão para enfrentar a crise no Rio.

Segundo Trindade, o Batalhão seguia em direção à Alerj, "reprimindo a população -alguns manifestantes, mas outros esperando atendimento ou retornando de almoço- com bombas e jatos d'água".

Ainda de acordo com Trindade, quando o Batalhão chegou perto da Assembleia, os dois policiais, que estavam na linha de frente segurando escudos, abandonaram o posto e voltaram no sentido contrário ao do protesto.



"Não queremos mais participar disso", disseram, segundo Trindade. Em seguida, foram ovacionados pela população.

O vídeo gravado por Trindade mostra apenas o momento em que um dos policiais, já distante do Batalhão, é aplaudido pelas pessoas ao redor.

Procurada, a PM disse que vai analisar as imagens para verificar a situação.

Entre os manifestantes havia muitos policiais. Em vários momentos, policiais subiram em carros de som para pedir que seus colegas não hostilizassem aqueles que faziam a segurança do prédio.

Veja também

Abraham Weintraub é reeleito como diretor executivo no Banco Mundial por mais dois anos
Brasil

Abraham Weintraub é reeleito como diretor executivo no Banco Mundial por mais dois anos

Brasil acumula 159,4 mil mortes por Covid-19 desde início da pandemia
boletim

Brasil acumula 159,4 mil mortes por Covid-19 desde início da pandemia