Polícia Federal prende prefeito de Florianópolis

Gean Loureiro foi preso na manhã desta terça-feira (18)

Prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro Prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro  - Foto: Divulgação

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (sem partido), foi preso na manhã desta terça-feira (18) pela Polícia Federal. O político, que exerce o seu primeiro mandato à frente da capital catarinense, foi alvo da Operação "Chabu", que também cumpre mandados de prisão e busca e apreensão em Porto Alegre (RS).

A prisão do prefeito foi confirmada pela prefeitura. Por meio de nota, o chefe de gabinete Bruno Oliveira informou que Loureiro está na sede da Polícia Federal, no bairro da Agronômica e que "já concordou em prestar todas as informações necessárias". Ele iria participar de uma cerimônia de inauguração de uma obra viária, mas não compareceu.

"Informações que temos é de que trata-se de uma operação que investiga policiais. Informações preliminares dão conta de que não há nenhum ato ou desvio de recursos públicos relacionados à prefeitura e de que a suposta relação entre o Prefeito Gean Loureiro e os envolvidos não teria nenhuma ligação com eventuais atos", disse.

Leia também:
Justiça decreta prisão de suspeito de matar ator de Chiquititas
Delegado e promotor já pediram prisão preventiva contra acusado de ataque a Jefferson  


A ação desta terça-feira é um desdobramento da Operação Eclipse, deflagrada em agosto de 2018. Segundo a Polícia Federal, há indícios de que uma organização criminosa construiu uma rede composta por políticos, empresários, e servidores da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal responsáveis por órgão de inteligência e investigação. O objetivo era embaraçar investigações policiais e proteger o núcleo político em troca de vantagens financeiras e políticas.

A PF investiga o vazamento de informações a respeito de operações policiais a serem deflagradas e até o contrabando de equipamentos de contra-inteligência. O processo corre em segredo de Justiça. Até as 11h30, não havia balanço dos trabalhos realizados.

Também foram presos nesta operação o delegado da Polícia Federal, Fernando Caieron e Luciano Veloso Lima, ex-secretário da Casa Civil do Estado na gestão Eduardo Moreira (MDB). As defesas dos presos ainda não se manifestaram a respeito da operação.

Veja também

Governo autoriza ampliação de vagas do Mais Médicos em Manaus diante de crise na saúde
Mais médicos

Governo autoriza ampliação de vagas do Mais Médicos em Manaus diante de crise na saúde

Em dois dias, mais de mil pessoas são vacinadas em São Paulo
Coronavac

Em dois dias, mais de mil pessoas são vacinadas em São Paulo