Policiais civis e legislativos entram em confronto na Câmara

Alguns parlamentares chegaram a pedir a suspensão da sessão por causa da dificuldade de chegar ao plenário em meio à manifestação

Policiais protestam em frente ao Congresso Nacional antes de entrar na Câmara e tentar chegar ao plenárioPoliciais protestam em frente ao Congresso Nacional antes de entrar na Câmara e tentar chegar ao plenário - Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Policiais civis que protestavam nesta quarta-feira (8) contra a reforma da Previdência nas proximidades do Congresso Nacional entraram em confronto com policiais legislativos após tentar invadir o plenário da Câmara dos Deputados.

Para impedir a chegada dos manifestantes ao plenário, os policiais legislativos utilizaram spray de pimenta, que acabaram atingindo deputados que se dirigiam ao local de votações. Alguns parlamentares chegaram a pedir a suspensão da sessão por causa da dificuldade de chegar ao plenário em meio à manifestação.

Diante dos relatos dos deputados, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou a violência do protesto e disse que policial chegou a sacar uma arma para um agente da Câmara que tentava controlar a manifestação. “O debate da reforma da Previdência será garantido. O debate será feito, a sociedade será convidada para debater a reforma, mas não na base da violência”, disse.

Comissão

A comissão especial que vai analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata da reforma da Previdência Social, deve ser instalada amanhã (9) à tarde. A comissão já está praticamente composta. Dos 37 deputados titulares do colegiado, 24 já foram indicados pelos líderes de suas bancadas. A presidência da comissão especial deverá ficar com o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) e a relatoria com o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA).

Veja também

'Se casal deu qualquer informação falsa pra mim, não fico na causa', diz advogado de Dr. Jairinho
Henry Borel

'Se casal deu qualquer informação falsa pra mim, não fico na causa', diz advogado de Dr. Jairinho

Merendeira que ajudou crianças em massacre de Suzano é 1ª profissional de educação vacinada
Covid-19 no Brasil

Merendeira que ajudou crianças em massacre de Suzano é 1ª profissional de educação vacinada