A-A+

Procon pede explicações à cervejaria Backer após mortes por suspeita de contaminação

A empresa solicitou que a cervejaria explique como será feito o recolhimento das bebidas e como restituirá os clientes

Cerveja Belorizontina, da BackerCerveja Belorizontina, da Backer - Foto: Reprodução/Instagram

O Procon-SP notificou a cervejaria Backer nesta quarta-feira (15) para que a empresa esclareça sobre a venda de seus produtos no estado de São Paulo. O pedido vem depois da morte de consumidores em Minas Gerais com uma doença que estaria relacionada à contaminação da cerveja Belorizontina.

Segundo a fundação, a empresa deverá informar se vendeu produtos de lotes com bebidas contaminadas, assim como outros produtos, para distribuidores, supermercados, atacadistas e outros estabelecimentos comerciais paulistas.

A Backer terá de esclarecer de que forma vendeu os produtos -e, lojas físicas ou virtuais- e em quais quantidades. O Procon solicitou que a cervejaria explique como será feito o recolhimento das bebidas e como restituirá os clientes. O prazo de resposta dado pela fundação para que a empresa responda é de 48 horas.

Leia também:
Água usada na produção de cerveja em MG estava contaminada, diz ministério 
Ministério manda apreender todas as cervejas da Backer
Cerveja artesanal contaminada é suspeita de causar intoxicação em Belo Horizonte

Na segunda-feira (13), o Ministério da Agricultura intimou a empresa suspeita da contaminação a realizar recall de todas as cervejas e chopes produzidas entre outubro de 2019 até hoje.

Veja também

Comissão aprova texto-base da PEC dos precatórios, que dribla o teto de gastos
PRECATÓRIOS

Comissão aprova texto-base da PEC dos precatórios, que dribla o teto de gastos

Votação sobre 'kit Covid' no SUS empata em comissão após racha na Saúde e ausência da Anvisa
Medicamentos

Votação sobre 'kit Covid' no SUS empata em comissão após racha na Saúde e ausência da Anvisa