PT pede abertura de extrato de gastos do cartão de Bolsonaro

O partido requer dados sobre os valores e locais onde os gastos foram realizados

Presidente nacional do PT, Gleisi HoffmannPresidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann - Foto: Zé Britto / Folha de Pernambuco

A liderança do PT na Câmara ingressou com um requerimento de informações, via LAI (Lei de Acesso à Informação), para obter o detalhamento dos gastos do cartão corporativo do presidente Jair Bolsonaro.

O partido requer dados sobre os valores e locais onde os gastos foram realizados, assim como os do Gabinete de Segurança Institucional e da Agência Brasileira de Inteligência, desde janeiro de 2019 (início do mandato de Bolsonaro).

Leia também:

Bolsonaro diz que gastou R$ 739 mil do cartão corporativo com resgate em Wuhan

Bolsonaro gasta mais que Dilma e Temer no cartão corporativo da Presidência 

Além disso, o PT pergunta quais são os órgãos e as autoridades que usam os cartões corporativos, quais foram os que mais gastaram e, em caso de gastos no exterior, quem os realizou e de quanto é o valor.

A demanda ocorre após reportagem mostrar que Bolsonaro aumentou as despesas no cartão corporativo em relação a Dilma Rousseff e Michel Temer. O presidente criticava os gastos antes de chegar à presidência e seus aliados defendiam o fim do cartão corporativo.

O aumento ocorreu mesmo descontando-se o valor gasto com o pagamento de voos para China, em fevereiro, para buscar brasileiros que deixam o país em meio à epidemia do coronavírus. 

 

Veja também

Fiocruz esclarece negociação de doses prontas da vacina de Oxford
Coronavírus

Fiocruz esclarece negociação de doses prontas da vacina de Oxford

Guedes defende vacinação em massa e diz que medida é decisiva para a economia
Coronavírus

Guedes defende vacinação em massa e diz que medida é decisiva para a economia