Brasil

PT pede abertura de extrato de gastos do cartão de Bolsonaro

O partido requer dados sobre os valores e locais onde os gastos foram realizados

Presidente nacional do PT, Gleisi HoffmannPresidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann - Foto: Zé Britto / Folha de Pernambuco

A liderança do PT na Câmara ingressou com um requerimento de informações, via LAI (Lei de Acesso à Informação), para obter o detalhamento dos gastos do cartão corporativo do presidente Jair Bolsonaro.

O partido requer dados sobre os valores e locais onde os gastos foram realizados, assim como os do Gabinete de Segurança Institucional e da Agência Brasileira de Inteligência, desde janeiro de 2019 (início do mandato de Bolsonaro).

Leia também:

Bolsonaro diz que gastou R$ 739 mil do cartão corporativo com resgate em Wuhan

Bolsonaro gasta mais que Dilma e Temer no cartão corporativo da Presidência 

Além disso, o PT pergunta quais são os órgãos e as autoridades que usam os cartões corporativos, quais foram os que mais gastaram e, em caso de gastos no exterior, quem os realizou e de quanto é o valor.

A demanda ocorre após reportagem mostrar que Bolsonaro aumentou as despesas no cartão corporativo em relação a Dilma Rousseff e Michel Temer. O presidente criticava os gastos antes de chegar à presidência e seus aliados defendiam o fim do cartão corporativo.

O aumento ocorreu mesmo descontando-se o valor gasto com o pagamento de voos para China, em fevereiro, para buscar brasileiros que deixam o país em meio à epidemia do coronavírus. 

 

Veja também

Covid-19: Brasil bate recorde de novos casos pelo 2º dia seguidoPandemia

Covid-19: Brasil bate recorde de novos casos pelo 2º dia seguido

Rio já tem mais casos de Covid-19 do que no primeiro ano de pandemiaRio de Janeiro

Rio já tem mais casos de Covid-19 do que no primeiro ano de pandemia