PT prepara ofensiva judicial contra Bolsonaro, Moro e Zambelli

Executivo Nacional do partido informou que ingressou com notícia crime contra Moro e Bolsonaro no STF

Presidente nacional do PT, Gleisi HoffmannPresidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann - Foto: Zé Britto / Folha de Pernambuco

A executiva nacional do PT decidiu, nesta segunda-feira (27), iniciar uma ofensiva contra o governo Jair Bolsonaro (sem partido) na Justiça. O ex-juiz Sergio Moro e a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) também são alvos.

No STF, o comando do partido decidiu apoiar o mandado de segurança coletivo que a oposição prepara contra a nomeação do novo diretor-geral da PF indicado por Bolsonaro, Alexandre Ramagem.

Leia também:

Moro deve provar no STF 'acusação grave' contra mim, diz Bolsonaro

Ministério Público suspeita de interferência indevida de Bolsonaro no Exército  Além disso, o PT informa que ingressou com notícia crime contra Moro e Bolsonaro na alta corte, com base nas denúncias feitas pelo ex-ministro na entrevista em que anunciou que deixaria o governo. Moro afirma que Bolsonaro deseja interferir no trabalho da PF.

A orientação da executiva nacional é para que deputados estaduais e presidentes de diretórios locais ajuízem ações populares em primeira instância contra as nomeações do ministro da Justiça e do novo diretor da PF.

Carla Zambelli deverá ser alvo de outra notícia crime no STF, sob a acusação de suposto tráfico de influência e advocacia administrativa, pelas mensagens trocadas com Moro em que propôs ao ex-ministro que ele aceitasse a mudança na PF e, como recompensa, fosse indicado ao STF. Moro não aceitou a proposta, segundo as mensagens que ele apresentou.

O PT também prepara uma representação ao conselho de ética da Câmara contra Zambelli.

​No campo da saúde, o partido decidiu adicionar à ação que já iniciou no STF pedindo a realização de mais testes da doença, e não apenas em pacientes graves, que a Justiça impeça o governo de indicar ou promover o uso de medicamentos cuja eficácia não tenha sido comprovada, em referência à cloroquina.

 

Veja também

Anvisa encerra análise de pedido de uso emergencial da Covaxin
SAÚDE

Anvisa encerra análise de pedido de uso emergencial da Covaxin

Ministério da Saúde autoriza uso da Pfizer para 2ª dose de grávidas que tomaram AstraZeneca
VACINAÇÃO

Ministério da Saúde autoriza uso da Pfizer para 2ª dose de grávidas que tomaram AstraZeneca